Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/10/2003 - 03h51

Outro Canal: Band faz campanha pró-porte de armas

Publicidade

DANIEL CASTRO
Colunista da Folha de S.Paulo

Discretamente, a Band está exibindo desde 18 de setembro uma campanha pelo "direito legítimo do cidadão" de portar armas.

Trata-se de ofensiva contra a versão do Estatuto do Desarmamento aprovada em julho pelo Senado, apoiada pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que previa um plebiscito, em 2005, para decidir pela proibição da venda de armas para cidadãos comuns. O projeto tramita agora na Câmara dos Deputados.

A Band vem fazendo seis inserções diárias de um comercial com o seguinte texto: "Na hora em que portar armas for fora da lei, só os fora-da-lei terão armas. Será que é preciso repetir para você entender? Portar arma é direito legítimo do cidadão. Defenda-se".

O anúncio não tem assinatura (não aparece logotipo), mas é, sim, da própria Band.

A campanha, diz a assessoria de imprensa da Band, reflete a opinião da emissora. O canal argumenta que não defende o armamento irrestrito da população, mas o direito do "cidadão habilitado" de portar armas.

Os principais argumentos dos anti-desarmamento são o de que a proibição irá aumentar o comércio clandestino de armas e que não irá reduzir a violência.

A posição da Band é oposta à da Globo. Misturando ficção e realidade, a novela "Mulheres Apaixonadas" promoveu a caminhada "Brasil Sem Armas", que reuniu 40 mil pessoas no Rio no dia 14.

Ampulheta 1

Termina hoje o prazo dado pela Globo para os atuais patrocinadores das transmissões de futebol exercerem o direito de preferência pela renovação dos contratos. Até sexta-feira, três dos cinco patrocinadores tinham garantido suas marcas no pacote de 2004.

Ampulheta 2

A Globo está pedindo R$ 67,5 milhões por cota de patrocínio do futebol em 2004 --um reajuste de 15,3% sobre 2003.

Diferente 1

O Estado de São Paulo é o "campeão" de reclamações de telespectadores enviadas à campanha Quem Financia a Baixaria É contra a Cidadania, da Câmara dos Deputados. No último "ranking da baixaria", divulgado sexta-feira, o Distrito Federal quebrou essa regra.

Diferente 2

O DF foi a unidade federativa que mais "denunciou" as novelas "Kubanacan" (terceiro lugar na lista) e "Malhação" (décimo), da Globo, por "apelo sexual".

Emprego na TV

Ex-diretora de produção da Sony Pictures no Brasil, Flavia da Matta, que emplacou "Roleta Russa" na Record, acertou sexta-feira com a Band.

Ocupará o recém-criado cargo de diretora de desenvolvimento de programas e novos projetos, subordinada ao vice Marcelo Parada.

E-mail - daniel.castro@uol.com.br
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página