Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/10/2003 - 14h41

Cancelamento de show de Alexandre Pires causa tumulto em Sobradinho

Publicidade

da Folha Online

Dois dias depois de cantar para o presidente dos EUA, George W. Bush, Alexandre Pires foi o pivô de uma confusão na cidade de Sobradinho (DF).

O cancelamento de uma apresentação do cantor no último sábado (4) provocou um tumulto envolvendo cerca de 300 pessoas no estádio Augustinho Lima, com quebra-quebra e até um princípio de incêndio no palco.

Segundo o comandante do 13º Batalhão de Polícia de Sobradinho, tenente-coronel Sílvio Costa Ferreira, foi necessário o envio de apoio das polícias de Paranoá e Planaltina para conter os fãs do cantor, mas não foi efetuada nenhuma prisão e não houve feridos na confusão.

Os fãs, revoltados com o cancelamento do show --supostamente provocado pelo não-pagamento do cachê ao artista--, arrancaram tapumes que cercavam o local e tentaram incendiar um tecido que fazia parte da decoração do palco.

Leia a nota oficial divulgada pela assessoria de Alexandre Pires:

"Para evitar maiores constrangimentos ao cantor Alexandre Pires e sua equipe, bem como mal-entendidos com relação ao cancelamento dos shows previstos para este final de semana em Sobradinho e Gama (cidades satélites de Brasília) informamos a seguir os reais motivos da não exibição do espetáculo Estrela Guia:

"Alexandre Pires foi contratado para duas apresentações nas cidades de Sobradinho e Gama , no Distrito Federal nos dias 4 e 5 de outubro passado, pela empresa do sr. Mauro Roberto da Mata. A equipe de produtores, músicos e bailarinos viajou ainda na sexta feira dia 3 de outubro de São Paulo para Brasília em ônibus especial de nosso escritório, levando todo o equipamento de som e luz em carreta que acompanhou o ônibus. Toda a equipe chegou em Brasília às 10h do dia 4. Alexandre Pires, saiu de Washington na mesma noite de sua apresentação na Casa Branca (dia 02/10), viajou por mais de 10 horas, somente para cumprir o compromisso assumido com o sr. Mauro Roberto da Mata e sua assessora Fátima Cavalcante.

Apesar de contrato assinado, e de inúmeras tentativas de nosso departamento de vendas para receber os pagamentos referentes ao cachê do artista, os mesmos não foram feitos, e como última tentativa, um de nossos produtores tentou receber no dia 4 diretamente com a sra. Fátima, que garantiu por telefone que estava com o dinheiro para fazer a referida quitação do contrato.

Nossa equipe montou todo o cenário no local previsto para o espetáculo bem como o equipamento de som. O cantor Alexandre Pires saiu de São Paulo em direção a Brasília no vôo 4294 da Vasp às 19h26, e chegou a Capital Federal às 21h09, se hospedando no Manhatan Hotel.

Infelizmente os promotores do show, sr. Mauro Roberto e sra. Fátima Cavalcante desapareceram e não realizaram o pagamento dos dois cachês previstos em contrato e, o mais grave, não ofereceram nenhuma condição de segurança para a realização do espetáculo, declarando em sua última comunicação com nosso produtor que não apareceriam mais no local, e que não efetuariam o pagamento do cachê.

Sem outra alternativa, não conseguimos realizar os shows, pois além de enorme prejuízo financeiro, estaríamos colocando em risco o artista, a equipe de produtores e o próprio público, já que o local não oferecia condições para abrigar o espetáculo.

Lamentamos o ocorrido e esperamos poder estar nestas cidades em breve para atender aos milhares de fãs de Alexandre Pires que foram, tanto quanto Alexandre e outros artistas, enganados por estas pessoas."

A reportagem da Folha Online procurou nesta tarde o contratante dos shows, Mauro Roberto da Mata, mas ele não foi encontrado e não retornou a ligação.

Casa Branca

Na última quinta-feira (2), Alexandre Pires cantou em uma cerimônia da Casa Branca, em Washington (EUA), em comemoração do mês da Descendência Hispânica. Durante o encontro com George W. Bush, Pires tocou "Garota de Ipanema", chorou e abraçou o presidente.

Atualmente, o cantor é um dos grandes sucessos nos EUA entre a comunidade latina, especialmente por suas canções românticas. Por isso, foi chamado junto dos integrantes do grupo Bacilos, do cantor porto-riquenho Victor Manuelle, de esportistas e outras personalidades hispânicas.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página