Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/12/2003 - 19h51

"Xuxa Abracadabra" é o filme mais visto nos cinemas

Publicidade

da Folha Online

O novo filme de Xuxa Meneghel, "Xuxa Abracadabra", estreou como o mais visto no fim de semana passado, tirando a animação da Disney "Irmão Urso" do topo do ranking de bilheteria no país.

O filme, que estreou com 305 cópias distribuídas por todo o Brasil, foi visto por 161.527 pessoas, segundo estatística divulgada pelo site Filme B (www.filmeb.com.br), empresa especializada em dados sobre o cinema nacional.

Em "Xuxa Abracadabra", da Warner, a apresentadora entra dentro de um livro de magia e vive vários contos de fada infantis, de Branca de Neve a Pinóquio.

O desenho "Irmão Urso", sobre o menino que vira urso para aprender o que é o amor fraternal e que na semana anterior foi o filme mais visto, fez uma bilheteria de 123.701 pessoas e já acumula 518.319 espectadores desde sua estréia, ficando em segundo lugar.

Os filmes de Xuxa, como os da Disney, costumam bater recordes no cinema nacional. Seu último, "Xuxa e os Duendes 2", foi um dos mais vistos em 2003 (mesmo tendo estreado em dezembro de 2002), com um acumulado de 2,3 milhões.

No ranking nacional do ano, Xuxa perde para "Carandiru" (4,69 milhões), "Lisbela e o Prisioneiro" (3,14 milhões) e "Os Normais" (2,93 milhões).

Queda de público

Quem tem dado vexame no cinema é "Acquaria", o filme protagonizado pela dupla de cantores Sandy & Júnior. Na semana anterior, quando estreou, perdeu para "Irmão Urso" e agora caiu para o 4º lugar do ranking, tendo sido visto por apenas 83.539 pessoas no fim de semana.

Até agora, "Acquaria", que é distribuído pela Fox Film, foi visto por 405.270 pessoas desde sua estréia, no último dia 12.

Na frente de "Acquaria" está "Simplesmente Amor", em que o ator Rodrigo Santoro faz uma ponta com fala, visto por 87.193 pessoas no fim de semana, mas com acúmulo de 581.816 espectadores no Brasil.

Leia mais
  • Limitado mundo de fábulas tenta separar crianças de consumidores (19/12/2003)
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página