Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/09/2004 - 12h22

Polícia investiga causa do acidente que matou produtor Tom Capone

Publicidade

da Folha Online

A motorista de 23 anos que se envolveu no acidente de trânsito que matou o produtor brasileiro Tom Capone ontem em Los Angeles (EUA) não estava sob efeito de álcool, informou a polícia americana.

Capone, 37, estava dirigindo uma motocicleta Harley Davidson, modelo Fatboy, pela Ventura Boulevard na madrugada desta quinta-feira (2) quando seu veículo chocou-se com um Dodge Neon em um cruzamento. A identidade da motorista não foi divulgada.

"Com o impacto, [Capone] foi lançado da moto. Ele caiu na via e bateu na parede de um prédio", afirmou o tenente Steven Allen à agência Reuters.

O produtor --que também era diretor artístico da gravadora Warner-- estava na cidade para participar do 5º Grammy Latino. Ele concorreu em cinco categorias da premiação, por seus trabalhos com a cantora Maria Rita e com o grupo Skank. Ele liderava a lista dos indicados, concorrendo por álbum do ano, produtor, engenheiro de gravação (todos por "Maria Rita") e gravação do ano (por "A Festa", com Maria Rita, e "Dois Rios", com o Skank), mas não venceu nenhum desses prêmios.

Capone, cujo nome verdadeiro era Luís Antonio Ferreira Gonçalves, foi declarado morto no local do acidente, que aconteceu ontem por volta das 3h30 (7h30 em Brasília).

De acordo com o policial, Capone estava usando um tipo de capacete que pode não ter protegido sua cabeça do choque.

Allen disse que o produtor pode ter atravessado no sinal vermelho e que a mulher --que saiu ilesa-- passou no teste que mede a quantidade de álcool no sangue e não deve ser responsabilizada pelo acidente.

"Alguém ultrapassou o farol vermelho", disse ele. "A única pessoa que sobreviveu afirmou não ter ultrapassado o sinal vermelho", declarou Allen.

O policial informou que a autópsia deve determinar se Capone estava sob o efeito de alguma substância, mas investigadores afirmaram acreditar que o álcool possa ter sido a causa do acidente.

Capone produziu ou co-produziu álbuns de Gilberto Gil ("Kaya n'Gan Daya"), Skank ("Cosmotron"), Raimundos ("Só no Forevis"), O Rappa, Frejat, Nando Reis, Lenine, entre outros. Trabalhava atualmente num CD de volta do grupo Barão Vermelho.

Era casado com a cantora Constança Scofield, ex-integrante do grupo Penélope, com quem tinha um filho de um mês de idade.

Com Reuters e Folha de S.Paulo

Leia mais
  • Morre produtor musical brasileiro Tom Capone

    Especial
  • Veja o que já foi publicado sobre Tom Capone
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página