Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/09/2005 - 10h35

Professor de Tom Jobim, maestro Koellreutter morre aos 90

Publicidade

da Folha de S.Paulo
do Bando de Dados

Morreu na noite desta terça-feira, no hospital Santa Isabel, em São Paulo, o compositor e maestro Hans-Joachim Koellreutter, um dos mais importantes músicos do país, considerado o papa da música dodecafônica no Brasil. Alemão naturalizado brasileiro, Koellreutter era portador do mal de Alzheimer e estava internado desde a última quinta-feira com pneumonia, segundo informou seu aluno e amigo Mauro Musvkat. O músico, que completou 90 anos no último dia 2 de setembro, teve uma parada cardíaca ontem à noite.

8.out.1999/Folha Imagem
Hans morreu vítima de parada cardíaca
Hans Koellreutter morreu vítima de parada cardíaca
Koellreutter chegou ao Brasil na década de 1930, fugindo do regime nazista na Alemanha. Aportou no Rio de Janeiro e morou na pensão da mãe de Tom Jobim, onde conheceu o maestro brasileiro e se tornou seu professor.

A partir de então, Koellreutter começou a viver como professor de música. Trabalhou na Proarte (em São Paulo) e na Universidade Federal da Bahia, onde dirigiu o departamento de música e influenciou diversos dos artistas que viriam a criar o movimento tropicalista.

Em entrevista à Folha, o compositor resumiu sua filosofia como professor: "Aprendo com o aluno o que ensinar. São três preceitos: 1) não há valores absolutos, só relativos; 2) não há coisa errada em arte; o importante é inventar o novo; 3) não acredite em nada que o professor disser, em nada que você ler e em nada que você pensar; pergunte sempre o por quê."

CRONOLOGIA

02.set.1915 - Nasce em Freiburg, na Alemanha

1934 a 1936 - Estuda composição na Academia Superior de Música de Berlim e flauta no Conservatório de Música de Genebra, na Suíça

1935 - Cria o "Círculo de Trabalho para a Nova Música", um grupo contra o nazismo e sua política cultural, o que lhe rende perseguições

16.nov.1937 - Muda-se para o Rio de Janeiro, fugindo do nazismo, após denúncia de que estaria noivo de uma judia, feita por parentes à Gestapo

1938 - Começa a lecionar no Conservatório de Música do Rio de Janeiro

1939 - Cria com Egídio de Castro e Silva o grupo Música Viva, que assume o dodecafonismo como uma nova técnica de compor. Desempregado e sem pátria, trabalha na gravação de música em chapas de chumbo em uma editora de origem alemã, o que lhe intoxica gravemente

1940 - É editada por um ano a revista "Música Viva"

1940 - É nomeado membro do Instituto Interamericano de Musicologia, de Montevidéu

1942- Funda o Quinteto Instrumental de São Paulo. Fica preso por três meses em São Paulo, suspeito de espionagem

1944 - Em maio é lançado o "Primeiro Manifesto" pelo grupo Música Viva. No mesmo mês, torna-se apresentador de uma série de programas na Rádio MEC sobre música contemporânea e o grupo Música Viva

1944 - É convidado pelo maestro húngaro Szenkar, criador da Orquestra Sinfônica Brasileira, a ser primeiro flautista e um dos fundadores da orquestra

1946 - É lançada a "declaração de princípios" do movimento Música Viva conhecido como "10Manifesto 46". Leciona no Instituto Musical de São Paulo

1948 - Naturaliza-se brasileiro

1948 - Atua como diretor do Primeiro Curso Internacional de Composição Dodecafônica em Milão (Itália)

1949 - Dirige o concerto inaugural do Museu de Arte Moderna de São Paulo

nov.1950 - Compositor Camargo Guarnieri publica crítica ao dodecafonismo na "Carta Aberta aos Músicos e Críticos do Brasil"

1952 - Funda a Escola Livre de Música de São Paulo, da qual assume o cargo de diretor até 1958

1954 - Cria a Escola de Música da Bahia, onde também trabalha como diretor até 1962

1960 - Lança seu primeiro livro, "Jazz Harmonia"

1962 - Muda-se para Berlim como artista residente, graças à bolsa que recebe da Fundação Ford

1963 - Chefia o departamento de programação internacional do Instituto Goethe, em Munique, República Federal da Alemanha

1964 - Recebe o título honoris causa da UFBA (Universidade Federal da Bahia). Dirige o Instituto Cultural da RFA em Nova Délhi, na Índia, além de representar o Instituto Goethe na Índia e no Ceilão (atual Sri Lanka)

1966 - Funda a Escola de Música de Nova Délhi, da qual se torna diretor

1969 - Muda-se para o Japão como diretor do Instituto Cultural da RFA em Tóquio e representante do Instituto Goethe no Japão e na Coréia do Sul

1975 - Regressa ao Brasil como diretor do Instituto Cultural Brasil-Alemanha e volta a lecionar música em diferentes instituições

1981 - Recebe o título de cidadão honorário carioca

20.mai.1983 - É empossado diretor do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí (SP)

1984 - Deixa o Conservatório Dramático e Musical de Tatuí, por falta de recebimento do salário

31.mai.1987 - É lançado, no MASP, o primeiro LP brasileiro registrando as obras compostas pelo artista desde 1941

26.jun.1987 - Recebe a Medalha de Honra da Inconfidência do governo de Minas Gerais

1987 - Recebe a Medalha do Mérito da Universidade de São Paulo e passa a ser professor visitante do Instituto de Estudos Avançados (IEA), da USP

1992 - Recebe o Prêmio Régio da Indústria da Comunidade Européia

23 a 30.nov.1995 - É homenageado pela 11ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea

13.set.1996 - Estréia "Café", ópera com libreto de Mário de Andrade, em Santos (SP)

1997 - Recebe o Prêmio Ministério da Educação na categoria música

2000 - É homenageado, juntamente com Haroldo de Campos e Tomie Ohtake, na Fundação Japão

11.set.2000 - É homenageado no MIS com concerto e lançamento de CDs e de dois vídeos: "Concertos Comentados" e "Koellreuter: A Música Transparente"

21.dez.2000 - É recebido como membro honorário da Academia Brasileira de Música

2001 - São lançados dois livros sobre a obra de Koellreutter: "Música Viva e H.J. Koellreutter", de Carlos Kater, e "Koellreuter educador", de Teca Alencar de Brito

13.set.2005 - Koellreutter morre aos 90 anos em São Paulo, após uma parada cardíaca.

Especial
  • Erramos: Professor de Tom Jobim, maestro Koellreutter morre aos 90
  • Leia o que já foi publicado sobre o maestro Koellreutter

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página