Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/10/2005 - 09h40

Livro sobre Chaves entra na lista dos mais vendidos

Publicidade

LUCRECIA ZAPPI
da Folha de S. Paulo

Não te contaram, você não soube? Chaves, o anti-herói mexicano mais badalado da TV, ganhou livro. "Chaves - Foi Sem Querer Querendo?" (ed. Matrix, R$ 27), trabalho de conclusão de curso de três alunos de jornalismo, Luís Joly, Fernando Thuler e Paulo Franco.

Os autores contam a história de Chaves desde a chegada do programa humorístico ao Brasil, exibido em 1984, 13 anos depois de sua primeira transmissão no México, país de origem da série.

Mesmo vivendo de reprises há mais de 20 anos, no Brasil só se conhece metade dos 500 episódios já gravados. Os exibidos aqui foram produzidos no "período de ouro do Chaves", quando o programa teve mais audiência no México, entre 1971 e 1979.

O livro traz informações detalhadas sobre os personagens, atores e dubladores, mais frases famosas e curiosidades do programa líder de audiência em diversos países latino-americanos, inclusive no Brasil.

Uma curiosidade é que na série não há espaço para o improviso, mesmo que as cenas informais pareçam uma encenação escolar com frases que, de tão infelizes, fazem rir, entre pausas sem ritmo em diálogos disparatados e ingênuos.

Mas, para o criador do seriado, Roberto Gómez Bolaños, também conhecido como Chesperito --um pequeno Shakespeare de 1,60m-- tudo o que era passado para os autores tinha que estar integralmente na cena.

O autor insiste no repertório repetitivo, quase de efeito hipnótico do "Chavo del Ocho" --no mais puro chilango, gíria falada na Cidade do México, "chavo" é menino. O estereótipo de menino pobre da periferia, de visual surrado, é bem calculado.

O livro também analisa o Chapolin, personagem que surgiu antes de Chaves, também criado por Bolaños, além de comentar mitos como acidentes de avião onde todos os atores teriam morrido, enchentes no SBT e a possível perda de diversas fitas do programa. Tenta explicar ainda por que o "Clube Chaves" não teve o mesmo êxito de "Chaves".

Mas, em todos os seriados, a piada é sempre a mesma e o humor pastelão alcança resposta imediata entre todas as classes e idades variadas. Chaves conquistou uma legião de fãs durante os anos 80 e hoje é um cult absoluto.

A fórmula do programa se condensa mesmo nas frases que já nasceram batidas, como o "foi sem querer querendo", o "isso, isso, isso" ou "tá bom, mas não se irrite". Mesmo que não soe nem tão original nem tão engraçado assim, as pérolas de Chaves já viraram parte do folclore televisivo nacional.

Veja abaixo a lista dos livros mais vendidos

Ficção

1 - "Memória de Minhas Putas Tristes" - Gabriel García Márquez (ed. Record, R$ 24,90, 128 págs.)
2 - "O Código Da Vinci" - Dan Brown (ed. Sextante, R$ 39,90, 480 págs.)
3 - "O Caçador de Pipas" - Khaled Hosseini (ed. Nova Fronteira, R$ 34,90, 368 págs.)
4 - "Fortaleza Digital" - Dan Brown (ed. Sextante, R$ 29,90, 336 págs.)
5 - "Anjos e Demônios" - Dan Brown (ed. Sextante, R$ 39,90, 464 págs.)
6 - "Quando Nietzsche Chorou" - Irvin D. Yalom (ed. Ediouro, R$ 44, 412 págs.)
7 - "Casório?!" - Marian Keys (ed. Bertrand Brasil, R$ 55, 644 págs.)
8 - "Assassinatos na Academia Brasileira de Letras" - Jô Soares (ed. Companhia das Letras, R$ 35, 256 págs.)
9 - "As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu" - Mitch Albom (ed. Sextante, R$ 19,90, 192 págs)
10 - "A Cura de Schopenhauer" - Irvin D. Yalom (ed. Ediouro, R$ 49,90, 336 págs.)

Não-ficção

1 - "Dossiê Brasília - Os Segredos do Presidente - Geneton Moraes Neto (ed. Globo, R$ 29, 272 págs.)
2 - "Amor É Prosa, Sexo É Poesia" - Arnaldo Jabor (ed. Objetiva, R$ 29,90,199 págs.)
3 - "102 Minutos" - Kevin Flynn e Jim Dwyer (ed. Zahar, R$ 34,50, 332 págs.)
4 - "Esquadrão da Moda" - Susannah Constantini e Trinny Woodall (ed. Globo, R$ 38, 144 págs.)
5 - "Almanaque Anos 80" - Luiz André Alzer e Mariana Claudino (ed. Ediouro, R$ 49, 304 págs.)
6 - "Chaves - Foi Sem Querer Querendo? - Luiz Joly, Fernando Thuler e Paulo Franco (ed. Matrix, R$ 27, 160 págs.)
7 - "Perdas & Ganhos" - Lya Luft (ed. Record, R$ 21,90, 128 págs.)
8 - "O Chef Sem Mistérios" - Jamie Oliver (ed. Globo, R$ 68, 256 págs.)
9 - "Colapso" - Jared Diamond (ed. Record, R$ 66,90, 686 págs.)
10 - "A Arte Secreta de Michelangelo" - Gilson Barreto e Marcelo Ganzarolli de Oliveira (ed. Arx, R$ 65, 224 págs.)

Auto-ajuda e negócios

1 - "O Monge e o Executivo" - James Hunter (ed. Sextante, R$ 19,90, 144 págs.)
2 - "Jesus, o Maior Psicólogo que Já Existiu" - Mark Baker (ed. Sextante, R$ 19,90, 192 págs.)
3 - "Adolescentes - Quem Ama, Educa" - Içami Tiba (ed. Integrare, R$ 39,90, 304 págs.)
4 - "Nunca Desista de seus Sonhos" - Augusto Jorge Cury (ed. Sextante, R$ 19,90, 160 págs.)
5 - "Superdicas para Falar Bem em Conversas e Apresentações" (ed. Saraiva, R$ 9,90, 136 págs.)
6 - "Pais Brilhantes, Professores Fascinantes" - Augusto Jorge Cury (ed. Sextante, R$ 19,90, 174 págs.)
7 - "Como Trabalhar para um Idiota" - John Hoover (ed. Futura, R$ 29,90, 264 págs.)
8 - "Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor" - Allan Pease (ed. Sextante, R$ 19,90, 204 págs.)
9 - "Freakonomics" - Stephen J. Dubner (ed. Campus - R$ 45, 266 págs.)
10 - "Não Leve a Vida tão a Sério" - Hugh Prather (ed. Sextante, R$ 19,90, 160 págs.)

A lista é feita com base na soma do número de exemplares vendidos, divulgado pelas seguintes livrarias: Siciliano (todo o país), Saraiva (todo o país), Laselva (todo o país), Sodiler (Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Maceió, Natal), Cultura (São Paulo, Porto Alegre e Recife), Fnac (São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília), Livraria da Vila (São Paulo), Nobel (São Paulo), e Livrarias Curitiba (Curitiba, Londrina, Florianópolis, Joinville, Porto Alegre)

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre os livros mais vendidos
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página