Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/12/2005 - 10h00

Forfun usa mídia virtual e lota shows

Publicidade

LUIZ FERNANDO VIANNA
da Folha de S.Paulo

A cena vista em 8 de novembro era de espantar: adolescentes aos magotes chegavam ao Canecão, no Rio, para ver uma coisa estranhamente chamada "Teoria Dinâmica Gastativa". Quem gosta de rock, não tem idade para escrever "magotes" e vive em meio a fotologs, messengers e flyers sabe qual palavra (em inglês) estava por trás da cena: Forfun.

Alexandre Campbell/FI
Forfun toca hoje em SP
Forfun toca hoje em SP
"Teoria Dinâmica Gastativa" é o CD de estréia dessa banda formada por quatro jovens cariocas. Foi lançado em novembro pelo selo Super Music, criado pelo superprodutor Liminha (Mutantes, Gilberto Gil, Titãs etc.) especialmente para impulsionar o grupo. O CD já vendeu 6.000 cópias, outras 3.000 estão indo para as lojas e, hoje, a banda o lança em São Paulo, no Hangar 110.

O que torna o Forfun exemplar de uma mudança de costumes é que seu sucesso crescente foi construído por meios digitais, especialmente a internet, sem o suporte de uma grande gravadora ou de meios tradicionais de divulgação. Daí o espanto de um jornalista diante do Canecão abarrotado por mais de 3.000 fãs.

"Mais de 70% da nossa divulgação foi pela internet. O resto foi de filipetas e boca-a-boca. Nós plantamos muito e estamos começando a colher", diz Vitor Isensee, 22. Guitarrista e responsável pela programação de efeitos, ele criou o Forfun em 2001 com o vocalista e guitarrista Danilo Cutrim, 23. Em 2002, Rodrigo Costa (baixo e vocal), 25, e Nicolas Cesar (bateria), 23, completaram o grupo.

Além da Tijuca, bairro da zona norte onde nasceram, os quatro tinham em comum o apreço pelo hardcore, o rock de levada pesada, distante das baladas. Começaram a integrar o que chamam de "cena punk-rock" e a freqüentar sites e casas de shows do meio --no Rio e em outras cidades.

"Quando fomos a Recife, em 2003, dormimos na casa de um dos promotores e não ganhamos nada. No primeiro show em Curitiba, pagamos até nossas passagens", lembra Isensee.

Mas, enquanto dividia os palcos com bandas já na indústria (como Dead Fish e Dibob), o Forfun divulgava suas atividades pelo seu site e fazia vídeos informais para que os primeiros fãs os baixassem. Os downloads chegaram aos milhares e os vídeos chegaram a Liminha, com o CD demo que o grupo vendia nos shows.

"Eu fiquei muito impressionado com a reação da platéia. Era um público enlouquecido, que subia no palco, jogava-se de volta. Quando fui ver no Garden Hall [no Rio, em 2004], a mesma coisa. Eles são músicos talentosos, e as letras fazem sentido para o público deles", diz o produtor.

Palavrões

São letras precárias, de temática adolescente e muitos palavrões. O clima é de zona sul carioca, com referências a lugares como Posto 9 (Ipanema) e Baixo Gávea, a praias e noitadas. É a linha "gastativa", adjetivo derivado da gíria "gastar", semelhante a "curtir".

"Procuramos ver o lado bom das coisas, retirar idéias positivas de situações negativas", define Rodrigo Costa. Todas as músicas são assinadas pelos quatro. Eles dizem que pretendem escrever letras mais adultas, até "políticas", como já arriscam em duas faixas do CD de estréia.

A se julgar pelos fãs adolescentes, que entopem o fotolog da banda de mensagens em internetês ("amu vcs" etc.), não é preciso pensar em mudanças.

"Cara, eles são muito maneiros, me identifico muito com eles, e me amarro em tocar 'História de Verão' e 'Cara Esperto'", empolga-se Renan Ramos, 15, cuja banda de covers se nutre de Forfun.

"Eu ouvi pela primeira vez no meio do ano e passei a ir a todos os shows deles no Rio", conta Paula Marinho, 15, fundadora do fã-clube Forfunáticas.

Com tanto sucesso, namoros fixos estão fora de cogitação e os estudos andam prejudicados. Mas três deles ainda tentam se formar. "Meu pai já me falou, preocupado: 'Essa faculdade pode acabar atrapalhando a banda'", conta, rindo (ou "gastando"), Isensee.

Teoria Dinâmica Gastativa
Lançamento: Super Music
Quanto: R$ 21, em média

Forfun (show)
Quando: hoje, às 19h
Onde: Hangar 110 (r. Rodolfo Miranda, 110, SP, tel. 0/xx/11/2229-7742)
Quanto: R$ 15

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre hardcore
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página