Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/04/2006 - 09h49

Walter Salles aponta plágio em "Cobras & Lagartos"

Publicidade

LAURA MATTOS
da Folha de S.Paulo

Os cineastas Walter Salles e Daniela Thomas apontam plágio em "Cobras & Lagartos", de João Emanuel Carneiro, que estreou na última segunda-feira na Globo. Segundo eles, o mocinho da nova novela, um motoboy interpretado por Daniel de Oliveira, é cópia de personagem do longa "Linha de Passe", que os diretores iriam filmar no próximo semestre.

Carneiro escreveu a primeira versão do roteiro de "Linha de Passe", em 2003, a partir de uma idéia original de Salles. O novelista da Globo já havia roteirizado dois filmes de Salles, "Central do Brasil" (1998) e "O Primeiro Dia" (1999), co-dirigido por Thomas.

Divulgação
Daniel de Oliveira vive motoboy na trama da Globo
Daniel de Oliveira vive motoboy na trama da Globo
De acordo com os cineastas, o motoboy não existia na história roteirizada por Carneiro. "Foram Daniela Thomas e [o roteirista] George Moura que desenvolveram tanto o personagem do motoboy quanto o da namorada apaixonada por música clássica. Carneiro teve acesso a esse novo tratamento, o que fica evidenciado em e-mails trocados entre nós", afirmou Salles à Folha, por e-mail.

Em "Cobras", o motoboy Duda se apaixona por Bel (Mariana Ximenes), que toca violoncelo e citou adoração por Bach no primeiro capítulo. No filme, o motoboy toca flauta transversa. "É uma personagem inspirada pelos jovens de periferia de um projeto musical que patrocinamos, o Villa-Lobinhos", disse Salles.

O cineasta procurou a Globo em março, quando soube que o protagonista da novela das sete seria um motoboy que tocava flauta transversa (por meio de foto publicada pela Ilustrada). A Globo regravou sete cenas, e a flauta foi substituída por um clarinete.

Para a Globo, a situação havia sido resolvida amigavelmente. Salles e a emissora são parceiros no cinema. Um dos maiores sucessos do país, "Cidade de Deus" (Fernando Meirelles, 2002) tem produção da Videofilmes, de Salles, e distribuição da Globo Filmes.

Na opinião dos cineastas, as mudanças apresentadas no primeiro capítulo não foram suficientes para diferenciar os personagens. "Estão lá as idéias do filme, está lá o personagem do motoboy que se relaciona com uma mulher no universo da música clássica. Se tiverem apenas trocado um instrumento por outro, a situação continua tão grave quanto antes", declarou Salles.

Divulgação
Mariana Ximenes e Daniel de Oliveira, casal protagonista
Mariana Ximenes e Daniel de Oliveira, casal protagonista
Thomas é mais contundente: "Infelizmente, ao final do primeiro capítulo da novela, assistido em todo o Brasil por centenas de milhares de pessoas, a maioria das coincidências com o nosso roteiro continuam intocadas".

Ela fala na possibilidade de o filme ser suspenso: "É difícil expressar a sensação de ter suas idéias apropriadas e exibidas, de forma corrompida e deformada, em rede nacional. Estou sob o forte impacto dessa experiência. Em pleno processo de casting [escolha de elenco] e preparação da produção, nos deparamos com a perspectiva de abandonar o projeto de quatro anos".

Além dos protagonistas da novela, um diálogo da estréia desagradou Salles, segundo a Folha apurou. Henri Castelli, o vilão que finge ter uma doença fatal, diz a Ximenes, sua noiva: "Você está vendo esse relógio? Cada segundo é um a menos para mim".

A frase é semelhante a uma de "Abril Despedaçado" (2001), de Salles. No longa, Tonho (Rodrigo Santoro) é envolvido numa trama de vingança de assassinato.

A Folha deixou recado na secretária eletrônica de Carneiro, na terça e ontem. Ele não retornou até o fechamento desta edição.

Informada das declarações de Salles e Thomas, a Central Globo de Comunicação (CGCom) enviou resposta, por e-mail, que disse representar "a posição da rede e de seus profissionais, o que inclui Carneiro". O texto é assinado por Luis Erlanger, diretor da CGCom: "Quando a Globo tomou conhecimento desse questionamento junto ao nosso autor, vários capítulos já estavam gravados. Por amizade e respeito ao Walter Salles, buscamos e chegamos --em comum acordo-- a uma solução, regravando cenas. Acreditamos que, quando entrarem no ar as mudanças que aceitamos fazer para contornar esse mal-entendido (e acertadas diretamente com o Walter), a situação será definitivamente superada".

A polêmica vem em péssima hora para a Globo. "Cobras & Lagartos" tem a missão de recuperar a audiência do horário, derrubada pela confusa "Bang Bang".

Leia mais
  • Crítica: "Cobras & Lagartos" apela, exibe seio e empolga
  • Globo faz vale-tudo em nova trama para se manter líder
  • Conheça outros personagens de "Cobras & Lagartos"

    Especial
  • Leia cobertura completa sobre novelas
  • Leia o que já foi publicado sobre "Cobras & Lagartos"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página