Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/10/2006 - 16h46

Leia trechos do novo livro de Bruna Surfistinha

Publicidade

da Folha Online

O segundo livro de Rachel Pacheco, mais conhecida como Bruna Surfistinha, chega às lojas neste mês. A primeira edição será de 20 mil exemplares. "O Que Aprendi Com Bruna Surfistinha - Lições de uma vida nada fácil" (Panda Books/R$ 27,90 /272 págs.) pretende dar pistas sobre a identidade dos clientes famosos da ex-prostituta e também traz ataques a apresentadores de TV.

"O Doce Veneno do Escorpião", primeiro livro dela, foi lançado no final do ano passado e liderou por vários meses a lista dos livros mais vendidos no país, sendo inclusive lançado em outras línguas.

Divulgação
Bruna Surfistinha liderou durante meses lista de livros mais vendidos
Bruna Surfistinha liderou durante meses lista de livros mais vendidos
Rachel ainda promete repercutir seu sucesso em outros meios. Em 2007, ela deve participar de uma peça e seu primeiro livro será transformado em filme.

"O Que Aprendi com Bruna Surfistinha" vai falar sobre suas experiências sexuais com famosos, como um apresentador de TV, um galã e um jogador de futebol. Mas a ex-prostituta vai evitar nomear os ex-clientes, com medo de ser processada.

Assim como em "O Doce Veneno do Escorpião", o jornalista e professor universitário Jorge Tarquini é quem "toma o depoimento" de Rachel.

Confira, com exclusividade, trechos do livro:

Celebridades prostitutas

"E isso envolve tudo, desde mulheres que se prostituem por debaixo dos panos, que estão na mídia, mas se fazem de sonsas quando o assunto é prostituição. Eu não faço auê, finjo que não sei de nada, mas fico pasma com tanta hipocrisia! Mas olho querendo dizer: "Eu sei, querida, que você é prima. Você não me engana!". E não me engana mesmo. Eu poderia escrever uma lista dessas mulheres, algumas tenho como provar, já outras não, e até explicar que focinho de porco não é tomada, estarei respondendo por processos. Sim, porque estas mulheres morrerão sem ter assumido."

Reprodução
Novo livro de Bruna Surfistinha ataca apresentadores de TV
Novo livro de Bruna Surfistinha ataca apresentadores de TV
Santos

"O que me incomoda de verdade é a hipocrisia das pessoas. Isso me tira do sério. O que mais vejo são seres humanos que se fazem de santos. Tudo
bem que são santos do pau oco, porque duvido que alguém tenha um passado limpo, sem nenhum erro cometido. E acaba até sendo engraçado, e até patético, saber que esses 'santos' são os que mais me criticam."

Homens casados

"A verdade é que muitos homens pagam por sexo, a maioria são casados e
com filhos, mas não aceitariam de maneira alguma a possibilidade de ter uma filha prostituta. Saber que a mulher que eles escolheram para subir ao altar, jurar fidelidade e amor até que a morte os separe, foi, no passado, antes de conhecê-lo, uma profissional do sexo?? Nem pensar! Para a maioria destes homens é como se tivessem levantado a tampa do caixão."

Vida íntima

"Se somos mais liberais do que outros casais? Não sei responder. Só sei que tudo o que fazemos na cama é bom, conhecemos as reações um do outro e não sentimos nenhuma vergonha por fazermos o que de bom o sexo pode oferecer. Eu não vou ficar aqui contando como são nossas transas. Primeiro, porque não acho bacana para nós dois. Segundo, são coisas que não se aprende nos livros: é preciso viver para entender. Uma coisa posso dizer: aprendi que sexo não é um bicho-de-sete-cabeças no relacionamento de um casal. E que estamos juntos não só por ele, mas por uma vida inteira a ser compartilhada --com sexo, amor, carinho, compreensão, amizade..."

Swing

Minha primeira vez de verdade num swing foi com um cliente. Não me lembro da cara dele, mas me lembro do quanto ele era um "porre". É do tipo de cliente que as garotas de programa precisam contar os segundos ansiosamente para que o período acabe. (...) Infelizmente, há muitas mulheres que vão ao swing com a intenção de satisfazer sexualmente o marido, independentemente de se divertir ou não.

Profissional

Durante os três longos anos em que me prostituí, muitos se apaixonaram por mim. Recebi muitas flores, presentes e cartas. Eu tinha clientes que me procuraram uma vez por semana. Acho até que chegaram a pensar que eu também estava apaixonada por eles. Coitadinhos...eu apenas estava sendo profissional.

Sozinha

Aprendi sozinha a ser prostituta. E não é apenas abrir as pernas e gemer falsamente. Eu escutava os desabafos dos meus clientes, gostava de conversar com eles, de saber o porquê procuravam uma garota de programa. Aprendi muito com eles. Não sinto falta dessa época e não voltaria a me prostituir.

Clonagem

A ex-mulher do João Paulo resolveu ganhar seus 15 minutos de fama à minha custa. Ela resolveu encarnar o papel de vítima de uma garota de programa. No caso, eu. Criou até um blog para me atacar.

Psicologia

O sonho de ser psicóloga surgiu quando eu tive depressão (...) Ao mesmo tempo em que desejo ter meu próprio consultório, tenho o sonho de trabalhar voluntariamente, em algum presídio.

Homossexualidade

Algo mágico aconteceu quando dei o primeiro beijo nela (...) As mãos dela passearam por todo o meu corpo (...)

Homens, lembrem-se: todo mundo sabe que vocês, quando moleques ou adolescentes, não têm qualquer pudor em se masturbar uns na frente dos outros, de medir o p... um do outro. Depois que viram adultos, ficam inseguros e implicam com essa coisa de mulheres indo juntas ao banheiro.

Leia mais
  • Cicarelli passou dos limites com vídeo, diz Bruna Surfistinha
  • Conheça os 10 artistas que estão em baixa no "mercado dos famosos"
  • PornoTube ainda disponibiliza vídeo de Cicarelli na praia
  • "Mad" brasileira satiriza emos como "nova categoria de gays"
  • Escândalo no "Zorra" expõe obsessão pela fama e riscos do "teste do sofá"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página