Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/01/2007 - 20h14

De volta à TV, Boris Casoy promete telejornal "mais crítico e exigente"

Publicidade

JAMES CIMINO
da Folha Online

Longe da TV desde o fim de 2005, quando deixou a bancada do "Jornal da Record", o jornalista Boris Casoy, 65, prepara-se para uma nova empreitada.

Ele assinou nesta quinta-feira contrato com a Companhia Brasileira de Mídia, que passará a operar a rede CNT do Paraná e suas afiliadas em todo o país, além de contar com "recursos humanos" e "conteúdos noticiosos" do "Jornal do Brasil" e da "Gazeta Mercantil". Na emissora, que deve se chamar "TV JB", Boris comandará o "Telejornal Brasil", que deve ir ao ar no começo de março, de segunda a sexta-feira, das 22h às 23h.

Divulgação
Boris Casoy vai comandar telejornal na TV JB (ex-CNT) a partir de março
Jornalista Boris Casoy vai comandar telejornal na futura TV JB (ex-CNT) a partir de março
"Será [um telejornal] dirigido a um público mais crítico e mais exigente. Irá ao ar às 22h, com todo o noticiário do dia, mas com espaço para opinião", diz Casoy à Folha Online.

Opinião é a marca registrada do jornalista, que ficou famoso quando apresentou o "TJ Brasil" no SBT de Silvio Santos durante nove anos e disseminou os bordões "é uma vergonha!" e "é preciso passar o Brasil a limpo".

Indagado se sua saída da Record fora motivada pela retirada de anúncios de empresas do governo federal, descontente com as críticas proferidas por Casoy no telejornal (rumor que se espalhou na época do rompimento com a emissora de Edir Macedo), Casoy comentou: "Tratei o governo Lula com objetividade. Critiquei o que tinha de ser criticado e elogiei o que podia ser elogiado. Sou jornalista, não sou político de oposição nem de situação."

O novo telejornal será transmitido dos estúdios da produtora Casablanca, na Bela Vista (região central de São Paulo). Casoy diz que pretende aproveitar ao máximo o quadro de jornalistas da CNT e trazer mais editores e repórteres. Além disso, terá estrutura de correspondentes internacionais.

O diretor-executivo do "Telejornal Brasil" será Dácio Nitrini, que trabalhou com Boris em outros telejornais.

Natural de São Paulo, filho de imigrantes russos, Casoy nasceu no dia 13 de fevereiro de 1941. Ele começou sua carreira como radialista esportivo nos anos 60. Também foi editor-responsável da Folha de 1974 a 76 e de 1977 a 84.

Leia mais
  • Boris Casoy negocia volta como âncora de telejornal
  • Record terá de pagar 11 salários a Boris Casoy
  • Polícia prende suspeito de roubar Boris Casoy no centro de SP
  • Record rescinde com Casoy e quer lançar clone do "JN"

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Boris Casoy
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página