Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/02/2007 - 11h31

Artista plástico Aldir Mendes morre aos 65 anos em SP

Publicidade

da Folha Online

O artista plástico paulistano Aldir Mendes de Souza, nascido no bairro do Ipiranga no dia 17 de maio de 1941, morreu na manhã desta segunda-feira aos 65 anos, vítima de complicações decorrentes de leucemia. O pintor estava internado havia três semanas no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Marcelo Barabani/Folha Imagem
O médico Aldir Mendes de Souza, que tem na pintura sua segunda opção de vida
O médico Aldir Mendes de Souza, que tem na pintura sua segunda opção de vida
Aldir começou nos anos 60 uma carreira marcada pelo experimentalismo. Realizou performances e trabalhos com chapas e filmes para raio-X. A partir da década de 70, passou à pintura de cavalete e elegeu os cafezais como tema de suas telas. Nos anos 90, sua obra foi dominada pelo abstracionismo.

Ao longo de mais de 45 anos Aldir construiu uma sólida carreira, tendo participado de eventos de destaque como a Bienal Internacional de São Paulo em 1967, 1969, 1971, 1973 e 1977; Bienal Ibero Americana do México, em 1987 e 1989; Bienal de Havana, Cuba, em 1991 além de diversas exposições individuais nas principais galerias do Brasil bem como em galerias dos Estados Unidos, Itália, Portugal, França e Espanha.

Aldir descobriu ser portador de uma grave leucemia em 2005. Debilitado pela doença, não deixou de produzir, utilizando-se inclusive da enfermidade como motivação e inspiração para suas obras através da série "Campos de Batalha", que faz analogia a batalha celular ocorrida no organismo do artista.

Aldir era casado com Solange Perrella Mendes de Souza e pai de Letícia e Aldir Mendes de Souza Filho.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Aldir Mendes
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página