Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/02/2010 - 09h02

Promotoria adia apresentação de acusações contra médico de Jackson

Publicidade

da France Presse, em Los Angeles

O gabinete da promotoria do distrito de Los Angeles adiou a apresentação de acusações contra o médico de Michael Jackson, Conrad Murray, 56, que não se entregará às autoridades nesta sexta-feira como era esperado, informou uma fonte policial.

Os advogados de Murray anunciaram ontem que o médico de Houston, que está no centro de uma investigação de sete meses, se entregaria para ser indiciado.

O anúncio foi feito após um dia de negociações entre os promotores e os advogados de defesa de Murray, que deve ser acusado de homicídio não premeditado pela morte de Jackson.

Uma fonte judicial afirmou que foi descartada a possibilidade de Murray se entregar e comparecer à justiça ainda hoje.

"Ao contrário de notícias divulgadas antes, Conrad Murray não se entregará nesta sexta-feira, como seu advogado havia declarado anteriormente, e as acusações não serão apresentadas", disse uma fonte policial à France Presse.

Michael Jackson morreu em 25 de junho em Los Angeles aos 50 anos vítima de uma parada cardíaca, provocada uma overdose de medicamentos.

Murray reconheceu que administrou no cantor o forte anestésico propofol, mas disse que isto aconteceu depois de tentar convencer Jackson a conciliar o sono com outros medicamentos e declarou que o artista insistiu nos pedidos pelo remédio.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página