Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/01/2001 - 04h14

Legião Urbana é a banda extinta mais ativa do país

Publicidade

RONALDO SOARES, da Agência Folha, em Curitiba

Confirmando sua condição de banda extinta mais ativa do país atualmente, o Legião Urbana está prestes a ter mais um disco póstumo lançado.

Desta vez, a gravadora EMI está reunindo gravações dos shows da turnê de lançamento do disco "O Descobrimento do Brasil", realizada em 1995, para lançar um disco ao vivo.

A Agência Folha apurou que a gravadora vai selecionar 30 faixas, que serão agrupadas em um CD duplo a ser lançado em fevereiro ou março.

Os ex-músicos do grupo -o guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá- se encarregarão do trabalho de mixagem das faixas, que será feita em um estúdio nos Estados Unidos.

Com o novo CD, que ainda não tem título, o Legião mantém a mesma média de lançamentos de qualquer banda em atividade: um álbum por ano.

O grupo acabou em outubro de 1996, após a morte de seu fundador/letrista/líder/vocalista, Renato Russo, vítima de complicações em decorrência da Aids.

Desde então, quatro discos lançados pela EMI não deixaram que Renato e sua banda caíssem no esquecimento: "Uma Outra Estação" (1997); "Mais do Mesmo" (1998); o terceiro CD solo do cantor, "O Último Solo" (1998); e "Acústico MTV" (1999).

Por mais paradoxal que possa parecer, após a morte do cantor e o fim da banda, o Legião passou a exibir uma vitalidade -no sentido comercial- de dar inveja a muitos grupos em atividade.

A venda dos discos do Legião, incluindo todo o catálogo, simplesmente dobrou após a morte de Renato Russo. Passou de 6 milhões para 12 milhões -não computadas as vendas dos discos solo do cantor e a performance do último lançamento, o álbum acústico, que vendeu mais de 1 milhão de cópias.

O número supera com folgas projetos similares de bandas contemporâneas do Legião ainda em atividade -o "Acústico MTV" dos Paralamas do Sucesso, por exemplo, vendeu 400 mil unidades; o do Capital Inicial, idem; e o trabalho acústico dos Titãs, "As Dez Mais", ficou na casa dos 500 mil.

O material para o próximo CD -o 12º do Legião- será extraído da turnê que marcou a volta do grupo aos palcos, depois de um jejum de quatro anos sem apresentações ao vivo, e que seria também a última da banda.

Depois de lançar "O Descobrimento do Brasil", no final de 1993, o Legião Urbana resolveu voltar à estrada em 1995, realizando 25 shows pelo país.

O assistente de produção musical Reginaldo Ferreira, que trabalhou
como "roadie" na turnê, conta que um dos momentos "mais especiais" da excursão foram os três shows no Metropolitan (atual ATL Hall), no Rio.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página