Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
25/05/2004 - 03h50

Orkut é a mais nova febre da rede a pegar no Brasil

Publicidade

DIEGO ASSIS
da Folha de S.Paulo

É namoro ou amizade? Em tempos de internet, a tradicional brincadeira que servia para as crianças descobrirem e revelarem suas preferências está virando coisa de gente grande.

Mais nova febre da rede a pegar o Brasil de jeito, o Orkut --ferramenta ligada ao "império" Google, em www.orkut.com-- é um site de relacionamentos que permite que o internauta tenha sempre, a um clique do mouse, uma lista de amigos, chegados e comunidades com perfis semelhantes.

Uma "social networking", que tem despertado a atenção de investidores interessados em algo além de beijo, abraço ou aperto de mão.

Mas não só: "Os brasileiros andam usando o Orkut como clubinho de fofocas e lesação, o que não deixa de ser divertido. É o jeito comportamental dos brasileiros, que antes já havia invadido o fotolog. Tem gringo chiando feio contra isso", resume Hisato Tanaka, que se filiou ao serviço para "reencontrar gente de outras épocas". "A capacidade do Orkut de ampliar e resgatar o círculo de amigos próximos é absurda. Mesmo quando você nem está a fim disso, acaba tendo que socializar, por uma questão de educação", completa.

Uma das exigências do serviço é a veracidade das informações que o usuário coloca em sua ficha pessoal, de acesso público. Uma mistura de jogo da verdade com entrevista para vaga de emprego, que servirá para que os velhos conhecidos se "achem" na rede e também para que novas amizades se estabeleçam, por meio de afinidades. (Se eu e você gostamos do Radiohead, do Monty Python e do seriado "Simpsons", todos temas das inúmeras comunidades do Orkut, então já podemos ser amigos.)

"Ente digital"

Após algumas semanas de experiência, no entanto, a pergunta que persiste é: quem está dizendo a verdade --nada mais do que a verdade-- no Orkut?

"Sim, eu menti. Eu disse que era advogado, eu disse que tinha curso de gourmet, eu disse que entendia de vinhos, eu disse que fazia noise eletrônico, mas isso tudo só para parecer mais interessante a outros olhos", escreveu um membro da comunidade "Eu Menti Meu Perfil no Orkut". Será verdade?

"Eu menti para entrar no 'Eu Menti Meu Perfil no Orkut' porque preciso me socializar e fazer amigos. É isso", retrucou outro, no mesmo fórum.

Em uma enquete promovida pela reportagem da Folha no próprio Orkut, 99,9% das pessoas responderam que jamais usaram o site para contar mentiras sobre si próprios.

"Só digo a verdade e omito o que não me interessa dizer. A pior coisa que você pode fazer é mentir, porque é muito fácil ser desmascarado", respondeu... Moon Shine --nome verdadeiro e foto ela não revela!

E mais: quem mente, grita em uníssono com a grande maioria dos orkutianos consultados, são os outros. "Não acredito nos perfis masculinos. Geralmente os homens são solteiros, sarados e ricos", diverte-se a garota.

Descrito com pelo menos dois dos adjetivos acima, o argentino radicado em São Paulo Andrés Nigoul conta que já adicionou diversas pessoas que mal conhece em sua lista. Em pouco tempo, os (novos) amigos haviam criado a "Comunidade dos Adoradores do Andrés", segundo ele, "meio na sacanagem". "Eles me tratam de mestre, ou iluminado. É estranho e às vezes engraçado", comenta Nigoul, que diz também já ter usado a comunidade de quadrinhos do serviço para encontrar parceiros para um projeto.

Mas, assim como na vida real, a grande contribuição cultural brasileira ao Orkut vem do ramo das telenovelas. Há dias uma enxurrada de celebridades têm se tornado "adeptas" da nova onda.

"Eu sou uma mulher de atitude: um bom uísque resolve qualquer situação. Aliás, a vida só faz efeito mesmo após a segunda dose", declara em seu perfil Heleninha Roitman, personagem de Renata Sorrah na novela "Vale Tudo". Os amigos de Heleninha? Odete Roitman, Darlene Sampaio, Dona Armênia, Hebe Camargo, Silvio Santos e até um Elvis Presley, que, por sua vez, é amigo de Serguei...

"Estamos sendo digitalizados, estamos criando nosso ente digital no Orkut. Sobre se falam a verdade? Qual é a verdade de cada um? A que ele vê ou a que os outros vêem nele?", pergunta o paulista Mick Bernard, que há tempos vinha acompanhando o serviço de longe e só conseguiu entrar mesmo quando recebeu um convite da filha. Isso porque entre as regras do Orkut a principal é que bicão não entra.

Leia mais
  • Serviço do Orkut forma "banco de dados mundial"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página