Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
31/05/2006 - 09h43

Peça "Bruxo Pontocom" traduz universo digital para crianças

Publicidade

JULIANA CARPANEZ
da Folha Online

A peça infantil "Bruxo Pontocom", em cartaz em São Paulo, é uma boa pedida para entreter as crianças cada vez mais aficionadas por computador e novas tecnologias. A montagem mostra o que acontece com Bonitinha, uma menina de 10 anos que cai dentro do computador de sua família. Apesar do tema bastante ousado --a tecnologia continua sendo mistério para muitos adultos--, a proposta funciona, pois dá um formato mais "palpável" a elementos do universo virtual.

Priscila Prade/Divulgação
Bonitinha (centro) tem ajuda de amigos digitais para combater Bruxo Pontocom (esquerda)
Bonitinha (centro) tem ajuda de amigos digitais para combater Bruxo Pontocom (esquerda)
Uma das estratégias para grudar o público na cadeira é a própria tecnologia. Equipada com óculos especiais, a platéia acompanha diversas cenas em 3D (terceira dimensão) exibidas no telão do palco. Assim, é possível ver os personagens destruindo vírus de computador e acompanhar uma batalha em formato de videogame, por exemplo.

No desenrolar da trama, o público torce para que o e-mail de Bonitinha seja entregue com sucesso a seu pai, o aniversariante do dia. A mensagem, no entanto, está contaminada pelo vírus do Bruxo Pontocom, vilão que colocou a garota dentro do computador e pretende conquistar o mundo com a ajuda de Mousepad, seu atrapalhado assistente.

Priscila Prade/Divulgação
Antes de entrar no computador, Bonitinha briga com seu irmão, Luka, para usar a máquina
Antes de entrar no computador, Bonitinha briga com seu irmão, Luka, para usar a máquina
Para combatê-los, a jovem conta com a ajuda de simpáticas criaturas virtuais, como Nirton (caçador de vírus), Sherlock (pesquisador de sites de busca) e Mary Vassoura (faxineira do computador que ajuda a colocar vírus na lixeira). Nesta briga, os personagens utilizam recursos high-tech como "recortar e colar" os inimigos além de, é claro, usar o comando "Control Z" --que desfaz ações no computador-- para invalidar maldades dos vilões.

O ponto forte da peça é o fato de as cenas abusarem da fantasia, dando "cara" a conceitos tecnológicos. Neste caso, por exemplo, os anexos de e-mail são representados como caixas de pizza utilizadas para o transporte de informações. Da mesma forma, os e-mails infectados vão para um hospital virtual e ficam em quarentena.

Do telão, os atores Fábio Assunção, Marco Rica e Denise Fraga interagem com os personagens do palco. A peça, escrita por Mário Viana, tem direção de Hugo Possolo. No elenco estão Alexandre Bamba, Daniel Warren, Flávio Faustinoni, Guilherme Uzeda, Júnia Busch e Camila Possolo (aos 13 anos, a atriz convence e agrada no papel de Bonitinha).

Bruxo Pontocom
Onde: Teatro da Artes no Shopping Eldorado (Av. Rebouças, 3970).
Tel.: (11) 3034-0075.
Quando: Sábado e domingo, às 16h. Até 30 de julho.
Quanto: R$ 30
Idade: A partir de quatro anos

Leia mais
  • Peça infantil "Galinhas Aéreas" usa técnicas de circo
  • Site HackerTeen contraria piratas virtuais e recebe ataques

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre tecnologia para crianças
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página