Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/08/2006 - 14h47

Criador da Wikipedia diz que não vai se submeter à censura chinesa

Publicidade

da Efe, em Pequim

Jimmy Wales, fundador da enciclopédia da internet Wikipedia, bloqueada na China desde outubro, declarou que não se submeterá à censura como fizeram outros portais, informou hoje o jornal "South China Morning Post".

A Wikipedia está vetada aos internautas chineses desde outubro, o que obriga os usuários a consultar "clones" chineses, como a enciclopédia oferecida pelo portal Baidu, que só inclui a versão oficial sobre os assuntos.

Num encontro com usuários da Wikipedia, em Hong Kong --onde o site não é bloqueado-- Wales declarou não estar disposto a sacrificar sua independência nem a impedir que os internautas possam modificar os artigos oferecidos pelo site, característica mais marcante da enciclopédia virtual.

"Para nós não seria admissível aceitar as condições impostas pelo governo chinês que quer autorizar cada edição publicada", afirmou Wales.

Depois da original em inglês, a versão em chinês da Wikipedia é uma das maiores do mundo. São mais de 85 mil artigos, 2,7 milhões de páginas e 15 mil imagens.

Apesar do acesso proibido para grande parte da população chinesa, mesmo em outros idiomas, seu conteúdo continua crescendo a uma média mensal de 9%. A previsão é de que chegue aos 100 mil verbetes no fim deste ano e a 250 mil em 2007.

Os números, porém, ainda estão longe do total de artigos na versão em inglês: 1,3 milhão.

A maioria dos artigos da versão chinesa aborda temas pouco polêmicos, como a arte, a história e dados técnicos. Wales considerou o bloqueio um "grande erro".

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a Wikipedia

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página