Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/02/2008 - 15h23

Google trabalha para impedir venda do Yahoo! para a Microsoft, diz jornal

Publicidade

da Folha Online

O Google estaria trabalhando de forma agressiva para impedir a venda do Yahoo! para a Microsoft. Segundo o site do jornal "The New York Times", a gigante do mercado de buscas vê o acordo como uma tentativa de ataque direto.

Na sexta-feira (1º), a Microsoft fez uma oferta de US$ 44,6 bilhões pela compra do Yahoo!. Trata-se de uma investida da gigante dos softwares na busca por espaço no mercado on-line, de olho principalmente nos crescentes ganhos com publicidade. É uma clara tentativa da empresa de rivalizar com o Google, seu maior obstáculo na área.

A publicação afirma que o executivo-chefe do Google, Eric E. Schmidt, ligou para o executivo-chefe do Yahoo!, Jerry Yang, oferecendo ajuda para afastar a Microsoft. Haveria inclusive a possibilidade de formar uma aliança Google-Yahoo!.

De acordo com o jornal, lobistas do Google em Washington também já trabalham em uma forma de apresentar uma ação contra o negócio aos congressistas norte-americanos. A idéia é que apenas um prolongamento no processo de aprovação da compra já beneficiaria o Google.

O Comitê Judiciário do Congresso dos Estados Unidos vai analisar o assunto na próxima sexta-feira (8). O órgão vai ouvir especialistas para verificar o impacto do possível negócio sobre o mercado de internet.

A empresa também teria entrado em contato com aliados como a Time Warner, dona da AOL, para saber se eles estavam interessados em fazer uma oferta pelo Yahoo!. O Google, que é dono de 5% da AOL, poderia ajudar a Time Warner no processo.

Às claras

Além do trabalho de bastidores, o Google já demonstrou publicamente seu descontentamento com a possibilidade da venda do Yahoo!. Em um post em seu blog corporativo, a empresa questiona se a Microsoft pode "estender para a internet o mesmo tipo de influência ilegal e inapropriada que mantém sobre os PCs".

Na mensagem, publicada no domingo (3) e assinada por David Drummond, vice-presidente de Desenvolvimento Corporativo e conselheiro jurídico do Google, a companhia afirma que o negócio é "mais que uma simples transação financeira, uma empresa comprando a outra".

"Enquanto a internet premia inovação competitiva, a Microsoft procurou estabelecer monopólios --e então usar sua dominação para novos mercados adjacentes", afirma o executivo.

Hoje, o executivo-chefe da Microsoft, Steve Ballmer, rebateu as acusações. "O Google tem claramente uma posição dominante. Eles têm cerca de 75% do mercado mundial de links patrocinados", afirmou. Segundo ele, a compra do Yahoo! estabeleceria a Microsoft como um "forte segundo colocado" no mercado de buscas, o que aumentaria a competição na área.

Ofensiva

Na proposta enviada ao Yahoo!, a Microsoft deixa claro que seu objetivo no negócio é unir forças para ganhar força no mercado de publicidade on-line.

Em clara referência ao Google, a empresa afirmou: "Hoje o mercado é cada vez mais dominado por um 'player' que está consolidando seu domínio por meio de aquisições. Juntos, Microsoft e Yahoo! podem oferecer uma alternativa confiável para consumidores, anunciantes e editores".

De acordo com a Microsoft, o mercado de publicidade on-line está crescendo rápido --deve passar de US$ 40 bilhões em 2007 para quase US$ 80 bilhões em 2010, nas contas da empresa.

Com associated Press

Comentários dos leitores
Jose Carlos Gaspar (27) 30/07/2009 08h36
Jose Carlos Gaspar (27) 30/07/2009 08h36
Infelizmente não temos justiça no Brasil, pois a Microsoft continua com práticas ilegais como embutir seu buscador com padrão nas atualizações automáticas de seus softwares e sistema operacional sem autorização do usuário. Na Europa e EUA já foram condenados por esse tipo de prática, mas continuam usando nos paises do terceiro mundo. sem opinião
avalie fechar
Jean-Luc Erny (1) 15/10/2008 21h37
Jean-Luc Erny (1) 15/10/2008 21h37
Eu acho que não é verdade que comprar Yahoo nunca tenha sido estrégica para a Microsoft. O mundo da computação está vivendo duas revoluções: o desaparecimento das aplicações instaladas no computador para as "online" e a generalização dos softwares livres (que poderiam ser afetados pela primeira revolução também).
Tudo isso se passa também mais recentemente no campo das aplicações professionais (como no campo da saúde).
Todas essas mudanças representam potencialmente muito menos dinheiro para empresas como Microsoft.
O rendimento da propaganda que representa o Yahoo seria muito interessante para a Microsoft que está mudando de fonte de lucro.
Ao contrário, para a Yahoo, seria perigoso uma união com a Microsoft porque essa empresa avança para trás em relação a essas duas revoluções. É por isso provavelmente que o Yahoo recusou a oferta (ou mais precisamente aumentou o preço da compra).
6 opiniões
avalie fechar
Alexandre Lucena (24) 22/05/2008 09h38
Alexandre Lucena (24) 22/05/2008 09h38
Mega Investidor nao existe, é uma criatura criada pelo mercado financeiro, para persuadir o mundo de que existem boas intençoes quando o assunto é dinheiro. Este senhor, como muitos outros fora e dentro do Brasil, nao passam de ESPECULADORES famintos por lucros. Nao sou hipócrita, porque se eu tivesse a mesma FORTUNA BILIONÁRIA que possui este senhor, seria mais um ESPECULADOR INTERNACIONAL.
Afinal, o Bill Gates (Microsoft), este senhor ESPECULADOR, Larry Ellison (Oracle), sao ESPECULADORES que utilizam meios distintos, visando um resultado único: LUCRO $ LUCRO $ LUCRO. Cito estes para dizer o mínimo.
40 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (43)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página