Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/03/2008 - 14h37

Raúl Castro libera venda de PCs e DVDs em Cuba

Publicidade

da Reuters, em Havana

O governo de Cuba autorizou a venda irrestrita de computadores, aparelhos de DVDs e outros produtos eletrônicos antes vetados. "Baseado na melhora do acesso à eletricidade, o governo aprovou a venda de alguns equipamentos que antes era proibida", informou um memorando interno do governo, obtido pela agência Reuters nesta quinta-feira (13).

Reuters
Estudantes cubanos observam imagem do guerrilheiro Ernesto Che Guevara (1928 a 1967) na tela de um computador utilizado na ilha
Estudantes cubanos observam imagem do guerrilheiro Ernesto Che Guevara (1928 a 1967) na tela de um computador utilizado na ilha

Estavam listados computadores, aparelhos de vídeo e DVD, e TVs de 19 e 24 polegadas, panela de pressão elétrica, panela de arroz, alarmes de carro, microondas e bicicletas elétricas --que antes os cubanos não eram autorizados a comprar.

Em 31 de julho de 2006, Raúl, 76, assumiu provisoriamente o comando do país, devido a um problema intestinal que Fidel teve e que deixou o líder cubano entre a vida e a morte. Ele deixou de ser interino em fevereiro, quando foi eleito presidente de Cuba.

Raúl encabeçou a lista única de candidatos apresentada à Assembléia Nacional para designar o novo presidente e os demais integrantes do Conselho de Estado para os próximos cinco anos.

Em seu discurso de posse, Raúl prometeu o início da eliminação de proibições "mais simples". O novo presidente defendeu "uma estrutura estatal mais compacta e funcional, com um número menor de organismos da administração central e uma melhor distribuição das funções", com vistas a "tornar mais eficiente a gestão do governo".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página