Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/09/2008 - 02h22

Leite contaminado mata terceiro bebê na China; 6.200 são afetados

Publicidade

da Folha Online

O leite em pó adulterado vendido na China matou o terceiro bebê nesta quarta-feira, segundo informações do Ministério da Saúde. O novo levantamento do ministério revela que 6.244 crianças ficaram doentes após o consumo do leite com melamina.

A substância é um composto cristalino utilizado na fabricação de resinas sintéticas. No caso, a melamina é usada para disfarçar leite diluído. O ministro da Saúde, Chen Zhu, afirmou que a substância foi adicionada ao leite para elevar seu nível de proteína.

arte/arte
Mapa China com capital

O leite contaminado deixou 158 crianças com problemas renais graves, levou 1.327 para o hospital e provocou sintomas leves em outras 4.917.

O governo afirmou nesta terça-feira que 20% das empresas testadas após o início do escândalo produziram leite com melamina em sua fórmula.

Autoridades ordenaram na semana passada uma investigação de todos os leites em pó do país após ser constatado que dezenas de crianças haviam desenvolvido pedras nos rins depois de tomar uma fórmula contaminada produzida pelo grupo Sanlu.

A chefe da companhia, estatal, foi removida.

Os resultados da investigação realizada pelo governo anunciados nesta terça mostram que o grupo Sanlu, que tem sido o foco da ira pública no escândalo, é apenas uma em meio a várias outras companhias que apresentam leite em pó adulterado.

De 109 laticínios testados, 22 produzem leite com melamina, incluindo o patrocinador da Olimpíada de Pequim, Yili, e outras marcas grandes.

A estatal Sanlu --da qual 43% é de propriedade da Fonterra, neozelandesa gigante do laticínio-- lidera a lista. Todos os centros verificados apresentaram leite adulterado, com o mais alto nível de concentração de melamina entre as mostras analisadas, segundo o governo chinês.

A melamina é rica em nitrogênio e pode ser usada para disfarçar leite diluído. É o mesmo aditivo que causou mortes de animais de estimação nos EUA no ano passado em razão de rações contaminadas.

Com France Presse

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página