Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/01/2009 - 13h39

Tropas israelenses matam motorista que levava ajuda a Gaza, diz ONU

Publicidade

da Folha Online

Soldados das forças israelenses atiraram nesta quinta-feira contra um caminhão da ONU (Organização das Nações Unidas) que transportava ajuda humanitária na faixa de Gaza. No ataque, o motorista do caminhão morreu, informou Adnan Abu Hasna, porta-voz da ONU.

Segundo Hasna, o ataque israelense aconteceu durante o cessar-fogo temporário de três horas declarado por Israel nesta quinta-feira justamente para a entrada dos caminhões com suprimentos aos cerca de 1,5 milhão de palestinos que vivem na região.

O caminhão, ainda segundo o porta-voz, estava identificado com a bandeira e a insígnia da ONU quando foi atingido pelas tropas de Israel.

O Exército israelense afirmou que está investigando o ocorrido. O ataque, contudo, deve aumentar a tensão entre Israel e ONU desde que as tropas israelenses atacaram três escolas administradas pela agência da ONU para refugiados palestinos em Gaza, matando mais de 40 civis.

Segundo Israel, combatentes palestinos haviam se posicionado no local para disparar morteiros contra suas tropas. A ONU afirma que a escola estava sendo usada para abrigar civis refugiados dos confrontos entre Israel e Hamas e condenou os ataques como uma violação às leis de guerra.

A Faixa de Gaza teve, pelo segundo dia consecutivo, um cessar-fogo de três horas para que a população civil possa obter mantimentos. A trégua ocorreu novamente entre 13h e 16h (9h e 12h de Brasília). Segundo Peter Lerner, porta-voz do Exército israelense para a coordenação com os territórios palestinos, a medida tem por objetivo "permitir que a população se abasteça de artigos essenciais".

A crise humanitária na faixa de Gaza foi agravada com a grande ofensiva militar israelense na região que, em seu 13º dia consecutivo de bombardeios, deixou mais de 700 palestinos mortos. Os confrontos com os militantes do movimento radical islâmico Hamas deixaram também ao menos 11 israelenses mortos, sete soldados (dos quais quatro morreram por fogo amigo) e quatro civis atingidos por foguetes em cidades de Israel.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página