Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/05/2009 - 19h14

Irã aprova 4 candidatos a presidente; Ahmadinejad quer reeleição

Publicidade

da Folha Online

O Conselho de Guardiães da Constituição do Irã aprovou quatro candidaturas para a eleição presidencial de 12 de junho próximo, entre elas a do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, e do ex-presidente do Parlamento, o reformista Mehdi Karubi. No total, havia 475 pedidos de candidaturas, entre os quais 42 de mulheres.

Os outros dois candidatos aprovados são o Hussein Mussavi, que foi premiê de 1981 a 1989, e o ex-líder dos Guardiões da Revolução, Mohsen Rezai.

Bagher Nassir/AP
Apoiadores jogam flores durante visita do presidente Ahmadinejad a Semnan
Apoiadores jogam flores durante visita do presidente Ahmadinejad a Semnan

Em teoria, todo iraniano pode ser candidato à Presidência. Porém, de acordo com o conselho, só são efetivadas candidaturas de "personalidades religiosas e políticas" e "fiéis aos princípios da República Islâmica e adeptos da religião oficial do país", o islamismo xiita.

Oficialmente, a campanha começa nesta sexta-feira (22) e termina em 10 de junho, dois dias antes do pleito. No entanto, o ultraconservador Ahmadinejad realizou um comício ainda nesta quarta-feira, reunindo milhares de pessoas, na cidade de Semnan. "Estudaremos as cartas e responderemos", disse o presidente à multidão, em referência às cartas que seus ajudantes recolhem em seus comícios, com pedidos de empréstimos a juros baixos ou dinheiro.

Os rivais do presidente, que assumiu o poder em 2005, dizem que as recentes viagens pelo Irã são ilegais, por configurarem campanha antecipada.

Inimigo de Israel, Ahmadinejad é criticado por seus adversários internos pela sua política de "colocar dinheiro do petróleo na mesa do povo" que, conforme especialistas, provocou forte inflação e aumentou a pobreza e o desemprego. Por outro lado, o presidente é defensor dos valores da Revolução Islâmica, e conta com o apoio quase incondicional do guia supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Mussavi, que se define como "um reformista que defende os princípios da revolução", é considerado o adversário mais sério de Ahmadinejad e conta com apoio do ex-presidente reformista Mohammad Jatami. Mussavi também poderá reunir ao seu redor o eleitorado conservador, que admira seu mandato como premiê na guerra com o Iraque (1980-88).

Karubi declarou que quer iniciar uma política "moderada" de reforma no sistema econômico iraniano, controlado 80% pelo Estado; e que quer o "relaxamento" da política internacional do país aliado à manutenção do programa nuclear. O último candidato, Rezai, é crítico severo de Ahmadinejad e o acusa de ter levado o Irã "à beira do precipício".

Cerca de 46 milhões de iranianos com 18 anos ou mais podem votar. Os reformistas dizem acreditar que, se o comparecimento às urnas for alto, o grupo pode sair vitorioso da eleição. Porém, eles acusam a mídia iraniana de não dar atenção para a eleição, o que inviabilizaria a mobilização dos eleitores.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página