Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/07/2009 - 13h28

Vice-presidente do Irã renuncia por dizer que país é amigo de Israel

Publicidade

da Folha Online

O primeiro vice-presidente iraniano, Esfandiar Rahim Mashaie, renunciou neste domingo apenas dois dias depois de ter sido nomeado pelo ultraconservador presidente, Mahmoud Ahmadinejad, informou a Press TV. Mashaie foi criticado duramente pelo setor mais conservador por dizer que o Irã "é amigo do povo israelense". Irã não reconhece a existência de Israel e o próprio Ahmadinejad já chegou a ameaçar "riscar do mapa" o país.

A renúncia foi considerada um sinal da árdua tarefa que Ahmadinejad, reeleito no pleito de 12 de junho sob críticas de fraude, terá para formar o novo governo. O presidente, cujo filho casou com uma filha de Mashaie, sofre assim os danos causados pela declaração do amigo.

Ali Rafiee-20set.08/AP
Presidente Mahmoud Ahmadibnejad (esq) foi criticado pela escolha de Esfandiar Mashaie
Presidente Mahmoud Ahmadibnejad (esq) foi criticado pela escolha de Esfandiar Mashaie

A eleição de Mashaie, que era vice-presidente responsável pelo Turismo, foi anunciada na sexta-feira por Ahmadinejad, pouco mais de um mês depois de sua eleição e das duas semanas de intensos protestos em massa da oposição por fraude.

A declaração polêmica é de julho de 2008, quando Mashaie afirmou que o Irã era "um amigo do povo americano e israelense" --frase que se destacou em meio às duas críticas de Teerã aos dois países e sua suposta intervenção nos confrontos internos iranianos.

"Consideramos o povo americano como um dos melhores do mundo", disse à época, causando polêmica entre clérigos e parlamentares conservadores.

Para aplacar os ânimos na época, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei, desaprovou publicamente as declarações e deu por encerrada a polêmica.

Neste domingo, Hossein Shariatmadari, assessor de Khamenei, afirmou que a escolha de Mashaie causou "uma onda de surpresa misturada a arrependimento e preocupação". "Muitos dos aliados mais próximos de Ahmadinejad rejeitaram a escolha", explicou.

Com France Presse e Associated Press

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Voltar ao topo da página