Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/10/2003 - 19h01

Colômbia mobiliza 270 mil homens para fim de semana eleitoral

Publicidade

da France Presse, em Bogotá

As autoridades colombianas estão em alerta máximo e mobilizaram 270 mil homens diante da possibilidade de que os grupos guerrilheiros intensifiquem suas ações de violência em oposição a um referendo e às eleições regionais que se realizarão neste fim de semana.

A ministra da Defesa, Marta Lucía Ramírez, e os comandos militares e policiais anunciaram hoje que 270 mil homens da força pública foram convocados para garantir a segurança nos municípios, vigiar as estradas e proteger a rede energética.

No entanto, ela observou que em quatro municípios do país, dos 1.098 existentes, não haverá eleições porque o número de efetivos é insuficiente para garantir a segurança.

A preocupação das autoridades é evidente ante a ofensiva dos grupos armados nos últimos meses da campanha eleitoral, que no sábado (25) levará os colombianos a votarem em um referendo definido pelo governo como um mecanismo para melhorar as finanças públicas e enfrentar a corrupção e o terrorismo.

Eleições

No dia seguinte, os colombianos irão às urnas para eleger governadores, prefeitos, vereadores e deputados, após uma campanha que registrou, até o momento, o assassinato de 17 candidatos às prefeituras, 11 a vereadores e um a governador, enquanto seis aspirantes sobreviveram a atentados.

Outros 13 candidatos a prefeituras foram sequestrados pelos grupos armados ilegais nos últimos meses, embora a maioria deles já esteja em liberdade, segundo a Federação Colombiana de Municípios (FCM).

Além do mais, 207 dos candidatos inscritos inicialmente decidiram abandonar a campanha, dos quais 50 o fizeram oficialmente por problemas de segurança. Os restantes o fizeram por motivos pessoais.

Aos sequestros, assassinatos e pressões dos grupos armados --especialmente das guerrilhas das Farc (Forças Armadas revolucionárias da Colômbia) e do ELN (Exército de Libertação Nacional)-- somam-se os atentados com carro-bomba, ocorridos nos últimos dias em várias regiões do país, especialmente em Bogotá.

Somente na capital colombiana, nas últimas duas semanas, as explosões de dois carros-bomba deixaram seis mortos e 24 feridos, ao mesmo tempo que as autoridades apreenderam dezenas de quilos de explosivos.

Mais 20 mortos e pelo menos 90 feridos é o resultado das explosões de carros-bomba e artefatos explosivos ocorridas em diversas regiões do país, entre o começo de setembro e agora.

O chefe da polícia, general Teodoro Campo, afirmou hoje que a força pública conseguiu neutralizar a ação de comandos guerrilheiros que ingressaram nos últimos dias em Bogotá, com o objetivo de realizar ações terroristas para prejudicar as votações do fim de semana.

Especial
  • Leia mais sobre o conflito na Colômbia
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


    Voltar ao topo da página