Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/01/2010 - 14h24

Laboratório diz ter proposto redução em pedido de vacinas da França

Publicidade

da France Presse

O laboratório francês Sanofi-Pasteur, filial de vacinas do grupo farmacêutico Sanofi-Aventis, afirmou nesta terça-feira que, em dezembro passado, já havia proposto ao governo francês reduzir o pedido de vacinas contra a gripe suína --como é chamada a gripe A (H1N1)-- após confirmar que uma dose por pessoa era suficiente.

A explicação da Sanofi-Pasteur, divisão formada pelo laboratório formada pelo laboratório e o Instituto Pasteur, foi divulgada um dia depois do anúncio da ministra da Saúde do país, Roselyne Bachelot, sobre o cancelamento de um pedido de 50 milhões de doses da vacina.

A França havia encomendado 94 milhões de doses no valor de 869 milhões de euros a quatro laboratórios: o francês Sanofi-Aventis, o suíço Novartis, o britânico GlaxoSmithKline (GSK) e o americano Baxter. "Os pedidos não haviam sido confirmados, nem pagos, portanto foram anulados", declarou a ministra ao canal de televisão TF1. "Se levarmos em consideração o valor total de doses pedidas --712 milhões de euros--, é uma economia de mais da metade", disse Bachelot.

A ministra explicou, no entanto, ao mencionar a quantidade de doses da vacina contra a gripe pedidas originalmente aos laboratórios, que "se tivesse que fazer de novo, faria exatamente o mesmo". O governo francês está enfrentando uma onda de críticas externas e internas pela compra excessiva de vacinas contra a gripe suína, o que motivou, inclusive, uma demanda de investigação parlamentar.

Até o deputado Bernard Debré, da União por um Movimento Popular (UMP), o partido do presidente Nicolas Sarkozy, denunciou que a França comprou 10% das vacinas de todo mundo e que falta prudência na política de governo contra a pandemia. "Temos um terço do Tamiflu mundial", declarou Debré.

O Partido Socialista (PS, oposição) e o Novo Centro (NC, aliado do partido no poder) pediram ontem (3) a abertura de uma CPI para fazer o balanço desta campanha, um dia depois da revelação de que a França já começou a vender seu excedente de vacinas para o exterior.

Apesar da França encomendar 94 milhões de doses de vacinas, somente 5 milhões de cidadãos foram vacinados no país, onde a campanha de vacinação suscitou pouco entusiasmo e teve de lidar com problemas logísticos. Para o porta-voz do PS, Benoît Hamon, "os laboratórios farmacêuticos são os grandes beneficiários" desta gestão desastrosa.

O governo também foi criticado por seus próprios aliados. "A França fracassou neste caso, apesar dos fortes investimentos", avaliou o presidente executivo do NC, Jean-Christophe Lagarde. "O custo é superior ao deficit de todos os hospitais franceses. Um pouco mais de prudência teria sido necessária", insistiu Debré.

"O que as pessoas teriam falado se a epidemia tivesse sido grave?", perguntou, em resposta, o chanceler francês, Bernard Kouchner, lembrando que "o inverno ainda não acabou".

Comentários dos leitores
Caro eduardo de souza,
A vacina contra o vírus Influenza A (H1N1) foi testada antes de ser utilizada na população e, aqui no Brasil, ela é aprovada pela Anvisa. Seus efeitos colaterais possíveis, até o momento, são: dor no local da aplicação da injeção, febre, dor de cabeça ou nos músculos e articulações. Esses sintomas costumam ser leves e duram 1 ou 2 dias. Raramente, podem ocorrer reações alérgicas como inchaços, asma ou alguma reação mais forte, por conta de hipersensibilidade aos componentes da vacina.
Mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br
Atenciosamente,
Ministério da Saúde
sem opinião
avalie fechar
eduardo de souza (635) 02/02/2010 02h12
eduardo de souza (635) 02/02/2010 02h12
Centenas de casos de "NERVO MORTAL", uma paralisia dos nervos, estão sendo associados aos que tomaram a vacina. Entre esses casos, a confirmação de que foi mesmo a vacina foi oficializado. "Esses casos são raros" tem afirmado o governo do Eua e os laboratorios que as produziram.
Mais da metade dos médicos N. Amer. não tomaram a vacina "MEDO DE EFEITOS COLATERAIS".
Aos que aqui voriferam os "benefícios" da vacina, estejam a vontade, podem tomá-la, alguns laboratórios estão a procura de "voluntários". :0)
1 opinião
avalie fechar
hugo chavez (310) 01/02/2010 21h39
hugo chavez (310) 01/02/2010 21h39
O silêncio do "Ministério da Saúde" frente às minhas colocações sobre as investigções mundiais em face de supostas irregularidades no episódio "pandemia de gripe suína" deixa algo no ar e cada um pode interpretar como quiser. Claro que tudo isto ocorre numa esfera muito acima do próprio Minsitério e tb, bem além do Governo brasileiro. Só os "donos do mundo" que elaboraram mais este "projeto" para o Mundo, podem esclarecer a questão. Afinal, alguns governos parecem ter sido vítimas, junto com a população mundial, destes "eventos mal esclarecidos". Para os que se perguntam se devem tomar a vacina, é bom refletir sobre tudo isto e decidir conforme a conveniência pessoal. Eu apóio as outras vacinas e as utilizo, mas, "gripe suína' e de outras "grifes", não me enganam. A "grande mídia" deveria investigar isto mais a fundo ou não? Sei lá né rsrs. sem opinião
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (6467)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página