Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/03/2010 - 11h30

Sobe para 45 número de mortos em duplo atentado no Paquistão

Publicidade

da Folha Online

Um novo balanço das autoridades paquistanesas eleva para ao menos 45 o número de mortos no duplo atentado de homens-bomba em um bairro comercial da área militar da cidade de Lahore, no leste do Paquistão.

Segundo autoridades locais, dois homens-bomba detonaram os explosivos que carregavam consigo quase simultaneamente, por volta das 12h45 (4h45 no horário de Brasília), pouco antes da oração muçulmana tradicional de sexta-feira.

Reuters
Agentes de segurança investigam local de duplo ataque suicida na cidade de Lahore (Paquistão); 45 mortos e 134 feridos
Agentes de segurança investigam local de duplo ataque suicida na cidade de Lahore (Paquistão); 45 mortos e 134 feridos

Uma das explosões aconteceu em uma parada de ônibus, enquanto a segunda aconteceu em uma rotatória da pista, no centro de Lahore, capital da região de Punjab.

Os detalhes, contudo, ainda são divergentes. Uma fonte militar citada pela agência de notícias Efe disse que cinco das vítimas são militares e que os dois homens-bomba dirigiam veículos.

Já a agência de notícias France Presse diz que os homens-bomba estavam a pé e detonaram os explosivos ao se aproximar de veículos do Exército, perto de um mercado lotado de RA Bazaar, um bairro residencial e comercial onde muitas agências de segurança mantêm instalações.

O chefe de polícia de Lahore, Parvaiz Ratho, citado pela agência de notícias France Presse, diz que cerca de dez das vítimas são soldados.

"São 45 mortos e 134 feridos", afirmou o chefe de polícia da Província de Punyab, Tariq Saleem Dogar.

"A primeira explosão foi fraca, ouvimos disparos de armas automáticas em seguida e, logo depois, outra explosão, forte", contou Mohamad Bilal, que acabara de sentar à mesa de um restaurante do mercado quando o ataque ocorreu.

As forças de segurança isolaram a área e os serviços de resgate transferiram os feridos a hospitais próximos.

O comando militar assumiu a responsabilidade pelas informações, e pediu às demais autoridades que moderem suas declarações, segundo explicou a imprensa do país.

O primeiro-ministro paquistanês, Yousef Raza Guilani, condenou o ataque, e disse que este tipo de "ato de violência covarde não vai minar o compromisso do povo do Paquistão de acabar com o terrorismo".

Autoria

Nenhum grupo assumiu a autoria do duplo ataque, mas a suspeita caiu rapidamente sobre os militantes do grupo islâmico Taleban no país, aliados da rede terrorista Al Qaeda.

O Movimento dos Talebans do Paquistão (MTP) reivindicou o ataque de segunda-feira passada (8) na mesma cidade. No dia, um terrorista a bordo de um carro-bomba destruiu um prédio da polícia de Lahore e matou ao menos 13 pessoas.

Principal grupo dos insurgentes islâmicos, o MTP se aliou à Al Qaeda em dezembro de 2007 e proclamou a jihad (guerra santa) contra as autoridades paquistanesas, pelo apoio aos Estados Unidos na guerra contra o terrorismo.

O MTP é o principal responsável pela onda de atentados que matou mais de 3.000 pessoas no Paquistão nos últimos dois anos e meio.

Os militares executaram recentemente várias ofensivas contra as zonas tribais na fronteira com o Afeganistão, uma área montanhosa amplamente controlada pelos talebans e considerada um santuário da Al Qaeda, além de base de retaguarda dos talebans afegãos.

A cidade de Lahore, com mais de 7 milhões de habitantes, é considerada a capital cultural e intelectual do país. Trata-se de uma região menos conflituosa que o noroeste paquistanês, mas nos últimos anos foi palco de muitos ataques.

Mais de 12 mil pessoas morreram em 2009 em fatos violentos no país, cerca de um quarto delas em atentados terroristas, segundo relatório do Instituto Paquistanês de Estudos de Paz.

Com agências internacionais

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página