Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/03/2004 - 06h07

ONU e Iraque querem investigar fraude em programa humanitário

Publicidade

da Folha de S.Paulo

O Conselho de Governo Iraquiano decidiu ontem abrir um inquérito para investigar denúncias de fraude e corrupção envolvendo o programa Petróleo por Comida, administrado pela ONU. Na semana passada, o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, também havia proposto uma investigação "independente de alto nível" sobre o programa que lidou com fundos de US$ 65 bilhões.

Em carta enviada ao Conselho de Segurança na sexta-feira, Annan disse que a investigação será necessária para "impedir a erosão da confiança e da esperança depositadas pela comunidade internacional nas Nações Unidas". A ONU já está fazendo uma sindicância interna para apurar se há funcionários envolvidos.

Segundo o governo americano, o regime de Saddam Hussein se apoderou de pelo menos US$ 10 bilhões do programa. De acordo com as denúncias, empresas e autoridades de governo estrangeiras e o funcionário da ONU Benon Sevan, que dirigiu o programa, também participaram das fraudes. Sevan nega as acusações.

O programa Petróleo por Comida foi criado pela ONU em 1996 para minimizar para a população iraquiana as conseqüências das sanções impostas ao Iraque pela invasão do Kuait em 1990.

Acabado em novembro, o programa permitia ao governo iraquiano vender petróleo a outros países, com a condição de que o dinheiro recebido fosse usado na compra de bens de primeira necessidade para a população e no pagamento de indenizações às vítimas da Guerra do Golfo (1991).

Com agências internacionais

Especial
  • Leia mais sobre o Iraque ocupado
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página