Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/03/2006 - 15h34

Veja cronologia da carreira política de Slobodan Milosevic

Publicidade

da France Presse

O ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic, cuja morte em sua cela foi anunciada neste sábado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) para a ex-Iugoslávia, em Haia (Holanda), onde era acusado de crimes de guerra e crimes contra a humanidade, iniciou a sua carreira política em 1984, aos 43 anos.

Veja a seguir as datas que marcaram sua carreira política:

1987

23 de setembro: Ivan Stambolic é obrigado a se demitir do posto de presidente da Sérvia, que passa a ser ocupado rapidamente por Milosevic, naquele momento, presidente da Liga Comunista.

1989

-Fevereiro: Greve geral dos albaneses contra o projeto de Belgrado de suprimir a autonomia de Kosovo. O protesto é duramente reprimido: 23 albaneses são mortos.

-28 de março: A Sérvia anula a autonomia de Kosovo, concedida pelo marechal Tito (1945-80) em 1974.

1990

-22 de janeiro: Milosevic lança o seu projeto de união de todos os sérvios em um só Estado.

-19 de agosto: Impulsionados por Milosevic, os sérvios da Croácia se pronunciam em um referendo a favor da independência da região autônoma de Krajina. Milosevic envia as suas tropas.

-27 de julho: O líder Radovan Karadzic cria na Bósnia, atendendo a ordens de Belgrado, o Partido Democrático Sérvio (SDS).

-12 de dezembro: Slobodan Milosevic é eleito presidente da Sérvia.

1991

-25 de junho: Eslovênia e Croácia proclamam sua independência.

-26 de junho: O Exército iugoslavo (JNA) inicia uma ofensiva na Eslovênia.

-19 de setembro: Milosevic ordena o avanço de seus tanques em Vukovar, cidade que representa a resistência croata, que já em ruínas será conquistada pelo JNA no dia 18 de novembro.

1992

-15 de janeiro: A Comunidade Européia reconhece a independência de Eslovênia e Croácia.

-9 de janeiro: O SDS de Karadzic proclama a "República Srpska" (ou República Sérvia da Bósnia).

-6 de abril: a União Européia reconhece a independência da Bósnia. Karadzic proclama a independência de sua 'república'. O JNA e as milícias sérvias que cercavam Sarajevo começam o assédio à cidade, que durará 43 meses.

1994

-18 de março: O acordo de Washington legitima as conquistas sérvias e divide a Bósnia em duas entidades diferentes: a República Srpska e a Federação croata-muçulmana.

1995

-5 de maio: uma ofensiva do Exército croata acaba com a República sérvia de Krajina.

-11 de julho: o chefe militar sérvio-bósnio, general Ratko Mladic, um colaborador próximo de Milosevic, ataca o lado muçulmano e a zona protegida da ONU em Srebrenica, promovendo o massacre no qual morrem 7.000 pessoas.

-5 de setembro: a OTAN bombardeia as bases sérvias na Bósnia. Belgrado não protesta.

-21 de novembro: Milosevic assina os acordos de Dayton (Estados Unidos), um plano de paz internacional para a Bósnia.

1996

-3 de novembro: O Partido Comunista (SPS) de Milosevic vence as eleições legislativas na Federação Iugoslava.

-17 de novembro: a oposição vence em diversas cidades, entre elas Belgrado, nas eleições municipais. A anulação dos resultados provoca manifestações. Milosevic cede às pressões e torna a outorgar os postos aos políticos eleitos democraticamente.

1997

-15 de julho: Milosevic chega à Presidência da República Federal da Iugoslávia (RFY), composta por Sérvia e Montenegro.

1998

- Final de fevereiro: As forças policiais e o Exército lançam em Kosovo uma ofensiva contra a guerrilha albanesa do Exército para a Libertação de Kosovo (UCK).

1999

- 24 de março a 10 de junho: A OTAN bombardeia a Sérvia. As forças de Milosevic se retiram de Kosovo. A ONU e a OTAN tomam o controle da província.

-10 de junho: O Conselho de Segurança da ONU aprova a resolução (1244) para Kosovo, que autoriza a mobilização da Força Multinacional de Paz da OTAN (KFOR) e prevê uma autonomia substancial para a província.

2000

-26 de setembro: A oposição democrática da Sérvia (DOS) anuncia a vitória de seu candidato Vojislav Kostunica nas eleições para a Presidência da RFI com 55% dos votos.

-5 de outubro: Milhares de pessoas tomam o Parlamento Federal e exigem a saída de Milosevic.

-6 de outubro: Milosevic reconhece a sua derrota.

2001

-1º de abril: A Polícia sérvia prende Milosevic sob a acusação de malversação de fundos.

-28 de junho: o governo do primeiro-ministro sérvio Zoran Djindjic entrega Milosevic ao TPI.

2002

- 12 de fevereiro: O processo de Slobodan Milosevic começa no TPI. Três atas de acusação pesam contra o ex-presidente iugoslavo pelos três conflitos principais que atingiram a ex-Iugoslávia: Croácia (1991-1995), Bósnia (1992-1995) e Kosovo (1998-1999). O ditador deveria responder por crimes de guerra e crimes contra a humanidade, e também por uma acusação específica de genocídio na Bósnia.

2004

- 23 de fevereiro: Depois de 300 dias de audiências, a procuradora do TPI, Carla Del Ponte, conclui a apresentação do expediente da acusação contra Milosevic, com o qual termina a primeira fase do processo.

- 31 de agosto: Milosevic inicia sua defesa com um amplo panorama histórico denunciando as 'vergonhosas mentiras' proferidas contra ele e fustigando o Ocidente pelas guerras na ex-Iugoslávia.

2005

- 16 de novembro: O longo processo de Milosevic é suspenso pela 22ª vez, devido ao precário estado de saúde do acusado.

2006

- 9 de fevereiro: o processo entra em seu quinto e último ano no TPI.

- 11 de março: o TPI anuncia a morte de Milosevic.

Leia mais
  • Tribunal Penal Internacional anuncia morte de Slobodan Milosevic
  • Morte de Milosevic foi natural, diz ministro holandês

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Slobodan Milosevic
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página