Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/06/2006 - 21h39

Annan diz que morte de Al Zarqawi não viola Convenção de Genebra

Publicidade

da Efe, em Nova York

O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Kofi Annan, afirmou nesta quinta-feira não acreditar que a morte do líder da Al Qaeda no Iraque, Abu Musab al Zarqawi, em um ataque militar americano, viole a Convenção de Genebra em matéria de assassinatos seletivos.

"O Iraque é uma zona de guerra. Há muitos grupos brigando entre si e Al Zarqawi era um dos que estavam nesta guerra, por isso não acho que se possa equiparar sua morte com um assassinato seletivo", disse Annan em declarações à imprensa.

O secretário-geral da ONU lembrou que Al Zarqawi não só foi responsável por "crimes horrendos", mas que, além disso, causou muitos problemas ao governo e ao povo iraquiano, razão pela qual "os iraquianos sentirão alívio pela morte".

É encorajador, disse, que um homem "tão cruel e perigoso, que causou tanto dano aos iraquianos, não possa mais seguir com seu trabalho".

Al Zarqawi e seis de seus colaboradores morreram em um ataque aéreo feito nesta quarta-feira pelas forças militares americano nas proximidades da cidade iraquiana de Baquba, cerca de 65 quilômetros ao nordeste de Bagdá.

Leia mais
  • Morte de Al Zarqawi serve de fôlego para Bush
  • Terrorista era principal inimigo dos EUA no Iraque
  • Morte de Al Zarqawi irá "virar o jogo" na luta antiterror, diz Bush

    Especial
  • Leia cobertura completa sobre o Iraque sob tutela
  • Leia o que já foi publicado sobre Al Zarqawi
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página