Pensata

Gilberto Dimenstein

20/03/2007

Mineiros reinventam a escola

Foi apresentada na segunda-feira oficialmente, em Minas Gerais, uma experiência para reinventar a escola pública --o nome de batismo é Escola Integrada.

Conduzida pela Prefeitura de Belo Horizonte, essa experiência visa aumentar a jornada escolar usando os mais variados espaços da cidade, a começar do bairro(clubes, parques, praças, museus, cinemas). O funcionamento é bem simples.

Graças a uma parceria com dez universidades mineiras, estudantes de diferentes faculdades fazem atividades com os alunos nos espaços comunitários. Ontem, por exemplo, brincadeiras ajudavam a aprender matemática. Toda essa articulação é possível porque existe, em cada escola municipal, um professor comunitário para montar parceiras, além da determinação de cruzamento de programas públicos de saúde, lazer, esportes, cultura etc. É uma modalidade semelhante ao bairro-escola testado em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro.

A importância dessa experiência deve-se ao fato de que já nasce com lupa. Com o interesse de aumentar a jornada escolar, o Ministério da Educação resolveu disseminar pelo país, nos programas de formação de professor, o conceito de bairros educativos, dispondo técnicos e, em alguns casos, recursos para a sua implementação.
Gilberto Dimenstein, 48, é membro do Conselho Editorial da Folha e criador da ONG Cidade Escola Aprendiz. Coordena o site de jornalismo comunitário da Folha. Escreve para a Folha Online às terças-feiras.

E-mail: palavradoleitor@uol.com.br

Leia as colunas anteriores

//-->

FolhaShop

Digite produto
ou marca