Reuters
11/01/2002 - 14h56

"Piores Clipes", da MTV, fica "cabeça" sob comando de João Gordo

da Reuters, em São Paulo

O programa "Os Piores Clipes do Mundo", da MTV, perdeu o tom escrachado de Marcos Mion e ganhou "papo cabeça", na nova versão apresentada por João Gordo e Ferrugem, na quinta-feira.

Se com Mion o lema era mandar ver na "tiração de sarro" estilo pastelão, João Gordo passou a usar o programa para despejar farpas e dar algumas lições de moral. E as críticas não se limitaram apenas aos videoclipes.

Dando uma de ombudsman da MTV, João Gordo - que só apareceu do pescoço para cima como se fosse apenas um cabeção flutuante - detonou o programa "Fica Comigo" após mostrar uma cena em que um garoto erra o nome da menina que está tentando conquistar.

"Esse programa me dá vergonha. É um dos programas mais preconceituosos que eu já vi", disse João Gordo. "Cadê os feios? Cadê os gordos? Esse programa me dá raiva."

Na nova versão, o telespectador telefona a cada bloco para votar em uma das três opções sugeridas por João Gordo, que faz campanha para que o público vote em prol do clipe que ele considera o pior da lista.

Em um dos blocos, o vídeo detonado foi o do grupo Carrapixo. "Isso aí é uma sacanagem com o povo brasileiro, uma enganação", afirmou João Gordo.

A outra inovação do "Piores" é a entrevista ao vivo. O artista vai ao programa explicar as gafes de seus clipes e João Gordo acaba fazendo uma minientrevista.

Se estiver envergonhado de alguma imagem, o artista tem direito de cobrir o rosto por no máximo duas vezes, colocando um saco de supermercado na cabeça. E, ao final do bate-papo, leva um prêmio.

Na quinta-feira, o convidado foi Gabriel, O Pensador, que falou de videoclipes antigos, de um pênalti sofrido em uma das edições do "MTV Rock e Gol", afirmou não ser inimigo de Fausto Fawcett e aproveitou para fazer propaganda de seu livro.

Ferrugem parecia o boneco Fofão, usando macacão jeans e blusa listrada. E, embora já seja um senhor de idade -de 50 anos, segundo João Gordo-, continua interpretando o mesmo personagem moleque e coadjuvante dos programas de TV de 20 anos atrás.

João Gordo ocupou seu espaço logo de início, quando fez o boneco Fudêncio -resquício do programa "Garganta e Torcicolo"- enforcar o elefante de pelúcia antes usado por Mion para apontar os erros dos clipes.

Lá pelas tantas a produção inseriu "Green Hair", de Supla, e João Gordo foi categórico: "Nunca mais o Supla vai aparecer neste programa."

"Vamos poupar o povo brasileiro desse episódio do rock nacional. O Supla é gente fina, mas ele não tem 'simancol'", disse.
 

FolhaShop

Digite produto
ou marca