Reuters
17/04/2002 - 19h45

Estudo associa gene da carne vermelha ao câncer de próstata

da Reuters, em Washington

Um gene envolvido na digestão da carne vermelha também está bastante ativo em células extraídas de tumores malignos de próstata - descoberta que pode levar a novos tratamentos alimentares e químicos para prevenir a doença, disseram cientistas norte-americanos hoje.

Células retiradas de tumores de próstata demonstraram uma atividade nove vezes maior do gene chamado AMACR, em comparação a células saudáveis, de acordo com uma equipe da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore (EUA).

A molécula de ácido graxo AMACR está presente em altos níveis em laticínios e carne vermelha. O gene de mesmo nome produz uma enzima que ajuda a quebrar as moléculas de ácido graxo.

Estudos anteriores demonstraram que dietas ricas em carne vermelha estão relacionadas a um maior risco de câncer de próstata.

Os cientistas alertaram que ainda é muito cedo para se estabelecer uma relação entre o consumo de carne vermelha e laticínios e o câncer de próstata, mas disseram que as descobertas fornecem pistas para o estudo da ligação.

"Durante anos, muitos de nós acreditamos que a dieta está de alguma forma relacionada ao câncer de próstata, mas não tínhamos nenhuma pista molecular que indicasse como isso ocorre", disse o especialista em urologia e câncer Angelo De Marzo, que escreveu o estudo juntamente com William Isaacs.

Na revista "Cancer Research", De Marzo e seus colegas disseram que estudaram mais de 6.500 genes e encontraram o gene AMACR ativo em níveis fora do comum no câncer de próstata.

Mais tarde, eles analisaram 168 tumores malignos de próstata e constataram que 95% tinham altos níveis de atividade do gene, o que o torna um dos principais marcadores biológicos do câncer.

De Marzo e Isaacs afirmaram que os marcadores AMACR poderiam ser usados para diagnosticar o câncer de próstata e reduzir o número de biópsias a que os pacientes precisam ser submetidos. A biópsia da próstata envolve a inserção de uma agulha pelo reto para chegar até a glândula.

Talvez seja possível usar exames de imagem para verificar a atividade do gene AMACR, livrando pacientes e médicos de um procedimento constrangedor e desconfortável.

O câncer de próstata é o segundo tipo de tumor mais comum em homens, depois do câncer de pulmão. A Sociedade Americana do Câncer estima que 189 mil homens serão diagnosticados com câncer de próstata em 2002, e que 30 mil vão morrer por causa da doença.

No Brasil, o Ministério de Saúde esperava que, em 2001, o câncer de próstata fosse o segundo mais mortal para homens e o primeiro em incidência.
 

FolhaShop

Digite produto
ou marca