Reuters
01/11/2002 - 16h02

Procuradoria colombiana põe ex-ministro em liberdade

da Reuters, em Bogotá

A Procuradoria Geral da Colômbia determinou hoje que o ex-ministro do Desenvolvimento e ex-embaixador ante a União Européia Carlos Arturo Marulanda seja posto em liberdade. Ele estava sendo processado por atividade paramilitar, terrorismo, incêndio criminoso e complô para delinquir.

Marulanda foi extraditado há duas semanas da Espanha, onde havia sido preso em julho de 2001, a pedido das autoridades colombianas. A Procuradoria revogou parcialmente uma decisão de segunda instância anulando a acusação de complô e substituindo a de terrorismo por ameaça.

O único processo que agora continua vigente contra ele é o de incêndio criminoso, que pode dar pena de até dez anos de prisão e não implica prisão preventiva.

Marulanda, ministro entre 1986 e 90, é acusado de ordenar a um esquadrão paramilitar de direita que queimasse as casas usadas por 200 famílias que haviam ocupado uma fazenda de sua propriedade, no norte da Colômbia.

O político negou todas as acusações e tentou sem sucesso evitar a extradição alegando que era perseguido por motivos políticos.

Os esquadrões de direita surgiram para combater as guerrilhas de esquerda que há quase 40 anos estão em guerra civil contra o governo. Grupos de direitos humanos acusam os paramilitares de contar com a ajuda de latifundiários, comerciantes, narcotraficantes e militares.

Leia mais no especial Colômbia
 

FolhaShop

Digite produto
ou marca