Reuters
29/11/2002 - 19h20

Colômbia suspende campanha militar com modelos de biquíni

da Reuters, em Bogotá

A ministra da Defesa da Colômbia ordenou hoje o cancelamento de uma campanha lançada pelo Exército com fotografias coloridas de modelos em trajes de banho, que tinha como objetivo incentivar deserções em massa na guerrilha esquerdista.

A ordem da ministra Marta Lucia Ramírez, a primeira mulher a ocupar o cargo na Colômbia, foi anunciada após protestos de organizações feministas.

"Junto-me ao protesto porque não gostei dos calendários", disse a ministra. Ela afirmou que deu a ordem para os comandantes militares cancelarem a campanha.

A campanha incluía a impressão de milhares de pequenos calendários de bolso com fotos de modelos -retiradas de uma página pornográfica da internet, com a mensagem "Saia já e obtenha benefícios".

Os calendários seriam lançados por helicópteros nas regiões de selva e montanha com grande presença de rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) e distribuídos por tropas oficiais em aldeias do país.

Os dois grupos rebeldes contam juntos com cerca de 22 mil combatentes, sendo centenas de crianças e adolescentes obrigados a participar da guerrilha, de acordo com instituições de direitos humanos.

Não foi possível obter uma projeção do custo da campanha, mas autoridades do Exército disseram que foi baixo porque não foram contratadas modelos e porque os calendários foram impressos em uma instalação militar.

No ano passado, 422 membros da guerrilha desertaram e se integraram à vida civil sob um programa do governo. Segundo o Ministério da Defesa, 1.181 guerrilheiros desertaram até agora no ano 2002.

O programa de apoio aos guerrilheiros que desertam envolve benefícios jurídicos, econômicos, de saúde e educação.

Grupos paramilitares ilegais que combatem a guerrilha já distribuíram clandestinamente calendários e adesivos coloridos com fotografias de mulheres incentivando combatentes de esquerda a passarem para o lado da ultradireita.

Leia mais no especial Colômbia

Leia mais notícias de Mundo
 

FolhaShop

Digite produto
ou marca