Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/04/2004 - 03h28

Artesã catarinense transforma rede de pesca em xale

da enviada especial da Folha de S.Paulo a Santa Catarina

Uma rede de pesca, que demora cerca de 400 anos para se decompor, se transforma em xales, bolsas e cachecóis nas mãos da artesã gaúcha Nara Guichon, 48, que tem ateliê e vive em Florianópolis.

A artista compra as redes usadas dos pescadores, lava-as apenas com água para não poluir o ambiente (ela garante que as peças não ficam com cheiro de peixe), corta as redes com tesouras e depois produz os tecidos no tear. "Eles ficam com a cor original da rede", comenta a artesã, que mistura a matéria-prima, por exemplo, com seda pura e fibra.

Mas ela também usa fios industrializados e lã feita a mão para compor seus objetos e roupas e normalmente colore esses fios com pigmentos naturais, como pau-brasil e folha de manga.

Até seu ateliê está mergulhado na natureza, cercado de mata atlântica. Tal localização, porém, distrai Nara em vez de inspirá-la. "Aqui, tudo me dispersa. Se eu trabalhasse num escritório, talvez me concentrasse mais." Seus cães e gatos ajudam a desviar sua atenção. A receita da venda de seus bichos de pano, aliás, é dedicada a ONGs de proteção dos animais.

Nara ainda trabalha com as criveiras de Governador Celso Ramos. Ela desenha e vende peças produzidas pelas bordadeiras.

Ali, um vestido para criança de um ano com um adorno chamado fuxico custa R$ 60. Já os xales de Nara variam de R$ 70 a R$ 155, e as bolsas, de R$ 25 a R$ 110.

Seu amor pelos fios vem da infância. Aos quatro anos, aprendeu o tricô e aos nove anos já vendeu sua primeira peça, um conjunto de roupinha de bebê. Quando adolescente, assistia à aula tricotando, com as agulhas e a lã escondidas debaixo da carteira.

O primeiro montante considerável conquistado com o fruto do seu trabalho, Nara gastou numa viagem a Buenos Aires, aos 17 anos, que durou 15 dias.

Hoje a artesã costuma viajar todos os anos e já visitou países como Marrocos, Tailândia e Peru. Nas suas andanças pelo mundo, sempre costuma comprar fios e visitar comunidades de artesãos.

Leia mais
  • Chefs e artesãos aquecem outono de SC
  • Protagonista do boi-de-mamão ressuscita
  • Capital de Santa Catarina exige carro ou van
  • Bar de grife não quer abandonar mercado
  • Floripa ganhará 1º cinema multiplex
  • Pacotes para Santa Catarina
  • Freguês pode comprar cadeira onde sentou na Confraria das Artes
  • Freguês come cores de Tarsila do Amaral
  • Bilhetes cobrem parede de bar na praia do Pântano do Sul
  • Falta de verbas atrasa restaurações em Florianópolis
  • No verão, artesãs de Governador Celso Ramos devem dar curso de crivo
  • Hotel-fazenda de SC organiza tour à praia
  • Responsável por cavalos de hotel-fazenda é ídolo das crianças

    Especial
  • Veja galeria de fotos de Florianópolis


    Nara Guichon Arte Têxtil - Estrada Rozália P. Ferreira (Geral da Costa de Dentro), 4.343; Costa de Dentro; Pântano do Sul, tel.: 0/xx/48/237-7043; www.nara.guichon.nom.br.
  •  

    Sobre a Folha | Expediente | Fale Conosco | Mapa do Site | Ombudsman | Erramos | Atendimento ao Assinante
    ClubeFolha | PubliFolha | Banco de Dados | Datafolha | FolhaPress | Treinamento | Folha Memória | Trabalhe na Folha | Publicidade

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade