Maior surpresa, Taison é o atleta convocado que há mais tempo conhece Tite

Atacante trabalhou com o treinador no Inter em 2008 e 2009

Luiz Cosenzo
São Paulo

Entre os convocados por Tite para a Copa do Mundo, o atacante Taison, 30, é o que conhece há mais tempo o técnico da seleção. 

Taison e Tite trabalharam juntos pela primeira vez em 2008, no Internacional. Na época, o jovem de 20 anos havia tido poucas chances no time principal, o que mudou com a chegada do técnico.

Ele viu potencial no atacante, que jogava aberto pelos lados do campo, e deu várias oportunidades a ele. No final daquele ano, conquistaram a Copa Sul-Americana. Os dois foram campeões Gaúcho e da Copa Suruga no ano seguinte.

Em sua passagem pelo Inter, Tite realizou treinos específicos de finalização com Taison. O atacante, inclusive, recebeu vídeos com lances para evoluir no fundamento. 

Taison durante treino da seleção brasileira na véspera de jogo contra o Equador em 2016 - Pedro Martins/Mowa Press

O atual treinador da seleção foi demitido do clube gaúcho em 2009. Taison saiu no ano seguinte, quando se transferiu para o Metalist, da Ucrânia.

Eles voltaram a trabalhar juntos em 2016, quando Tite o convocou para o duelo contra o Equador, o seu primeiro no comando do time brasileiro.

De acordo com o treinador, Taison foi convocado pela sua versatilidade --atua também no meio de campo, posição em que iniciou a carreira.

Neste ano, o atacante fez só sete gols em 36 partidas pelo Shakhtar Donetsk. Chegou a ficar 20 jogos sem marcar.

"Ele pode jogar por dentro ou por fora, porque a é ideia ter Philippe Coutinho de meio-campista central também", disse Tite sobre o atleta.

O INÍCIO

Taison chegou ao Internacional em 2003. Ele foi contratado pelo clube gaúcho um ano após ser reprovado no testes. Na época, foi descrito como um menino “magrinho” e “mirrado”.

O interesse da equipe colorada no atacante surgiu após um duelo contra o Progresso, time da cidade de Pelotas, que tem um trabalho voltado para as categorias de base. Taison, que atuava como meia-atacante, foi um dos destaques da partida.

“Ele foi reprovado no Internacional quando fez a primeira avaliação no Internacional em 2003. No ano seguinte, se destacou em um torneio contra o Internacional e foi adquirido pela equipe”, disse Alcyone Dornelles, que descobriu o jogador e hoje trabalha como empresário do atleta junto com o seu filho, Diego Dornelles.

Taison era franzino em razão das dificuldades financeiras que a família atravessava. Ele tem dez irmãos. “Procuramos ajuda lo, inclusive, dando alimentação para os pais e os irmãos, mas muitas vezes quando o Taison chegava em casa a comida já tinha acabado. Com isso, começamos a dar almoço para ele em restaurantes da cidade”, contou Diego.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.