Descrição de chapéu Livros

Biblioteca dentro de cemitério leva leitores a lápides em São Paulo

Centro comunitário ajuda a mudar rotina cultural de Parelheiros, na zona sul paulistana

Guilherme Henrique
São Paulo

A localização curiosa da Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura, em Parelheiros, na zona sul de São Paulo, é assunto frequente na rotina das crianças que frequentam o espaço. 

"Às vezes eu pego um livro e vou ler no meio dos corpos", diz Kaique Nogueira, 11, sobre as lápides. "Aí você conta uma história para os mortos?", brinca Yago Brito, 12. 

Criada em 2009, num projeto idealizado pelo Ibeac (Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário), a biblioteca está instalada dentro do Cemitério Colônia, construído em 1829 e um dos mais antigos da capital.

"Aqui era a casa do coveiro", comenta Sidneia Chagas, uma das gestoras. Antes de chegar ao cemitério, a Caminhos da Leitura ficava em uma sala da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro. 

"Eu não tenho medo", diz Janaína de Souza, de nove anos. As crianças fazem graça com a história e, por vezes, se assustam com um "buh!" repentino. 

Janaína visitava a biblioteca pela primeira vez quando a Folha esteve no local, na última quarta-feira (9). Ela guardava "Reinações de Narizinho", de Monteiro Lobato, junto ao peito. "Esse eu nunca li", disse, enquanto conhecia o ambiente. 

O acervo atual possui cerca de 4.500 livros, entre infantis e adultos, separados por literatura estrangeira e nacional. Ana Maria Machado, Monteiro Lobato, Mauricio de Sousa, Ruth Rocha e Ziraldo são os preferidos. 

Segundo o gestor Rafael Simões, 500 crianças da região são impactadas mensalmente pelo projeto, entre empréstimos de obras e visitas guiadas. 

A vontade de estar entre os livros tem mudado os hábitos das crianças, como o uso frequente do celular. "Meu irmão mais velho joga o dia todo, mas eu prefiro o livro", comenta Kaíque Vieira, de dez anos. 

Para Janaína, a troca do eletrônico pelas letras ajuda a exercitar a imaginação. "Gosto de ler porque posso entrar na história." 

Instalar a biblioteca em Parelheiros foi uma forma de aumentar a oferta cultural no bairro da periferia de São Paulo. E o espaço virou ponto de referência. 

"As escolas da região sempre faziam passeios para lugares distantes. Hoje elas se apropriam da biblioteca", conta Sidneia. 

Para Bel Santos, coordenadora do Ibeac, "ter esse espaço numa área quase rural da cidade é estabelecer uma ponte para as crianças conhecerem outros universos". 

No próximo mês, umas das atividades da biblioteca será o Sarau do Terror, quando os jovens (muitos com fantasias de monstros) costumam ler poemas entre as lápides. 

O evento será no dia 9 de novembro e fará parte da da FeLiPa, a Festa Literária de Parelheiros.

A biblioteca em números

2009

A biblioteca foi inaugurada, primeiro funcionou em uma UBS e, depois, no cemitério


4.500

Livros existem no acervo, entre obras adultas e infantis


500

Crianças são impactadas todo mês, segundo os gestores

Biblioteca Comunitária Caminhos Da Leitura

  • Quando Seg. a sex., das 9h às 18h30
  • Onde r. Sachio Nakao, 28, São Paulo
  • Contato Tel. (11) 98970-2789 ou facebook.com/bccaminhosdaleitura

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.