Silêncio na cidade ajuda a observar pássaros sem sair de casa

Atividade pode ser feita em quintais ou janelas e diverte crianças e adultos

Vanessa Henriques
São Paulo

Enquanto estamos isolados em casa, as aves aproveitam para passear livremente pelas cidades. A diminuição do movimento nas ruas, consequência da quarentena, trouxe como benefício o silêncio, que favorece a identificação de diferentes cantos e sua possível origem.

Aliás, a calmaria é essencial para quem quer ser um observador de aves —atividade que pode ser experimentada em qualquer idade e local, respeitando o isolamento. Para avistar estes animais na cidade é preciso atenção, além de ouvidos e olhos bem atentos.

Os horários em casa, mais flexíveis, também favorecem a prática, já que os passarinhos costumam começar o expediente logo cedo. No período entre 6 h e 10 h da manhã eles ficam mais ativos, explica o biólogo e ornitólogo (especialista em aves) Fabio Schunck. É preciso manter o silêncio e se movimentar pouco, para não assustá-los. Há quem use roupas camufladas, mas peças com cores mais frias, como verde e cinza, são suficiente.

Um observador pode encontrar aves em qualquer lugar: em árvores (onde geralmente elas buscam alimento e abrigo), nos telhados das casas, em pleno voo ou mesmo ciscando no chão. É possível escolher um lugar fixo para observar, como da janela ou da varanda de um apartamento, ou fazer uma caminhada pelo quintal.

Comedouros e bebedouros também podem ser opções para atrair os pássaros, mas exigem cuidado. “Eles precisam ser limpos diariamente e reabastecidos com alimentos, o que gera uma certa demanda e disciplina de quem se propõe a fazer. Geralmente em comedouros se coloca frutas (banana, mamão, etc) e algumas sementes, mas é comum dar muita briga”, afirma o biólogo.

A tecnologia também pode ser uma boa aliada. Se você tiver um binóculo em casa —ou quiser investir no hobby— pode usá-lo para fazer avistamentos. Há também aplicativos e manuais online para consultar as espécies. Schunck recomenda o aplicativo Merlin, que reúne fotos e informações básicas. Com ele é possível também identificar uma ave através de um registro feito pelo usuário.

E se você conseguir fazer boas fotos ou uma lista de todos os passarinhos que já viu, que tal compartilhá-las com outras pessoas? Observadores amadores e até mesmo cientistas costumam utilizar plataformas colaborativas como Wikiaves e eBird.

Quer testar seus conhecimentos antes de partir para a ação? Veja se conseguiria reconhecer as espécies abaixo se elas aparecessem piando na sua janela.

Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus)

Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus) - Ilustração Ricardo Sanches

Uma das aves mais populares do Brasil, conhecida por seu canto peculiar, do qual tiramos seu nome. É agitada e barulhenta, e fácil de ser avistada. Costuma usar locais expostos, como o alto de postes e árvores, como seu palco para cantar. Gosta também de ficar na beira de rios, mas também se diverte na piscina.

Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris)

Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris) - Ilustração Ricardo Sanches

Ave símbolo do estado de São Paulo e também do país, já foi tema de muitas músicas e de um conhecido poema (lembra qual é?). É visto em quintais e áreas urbanas arborizadas, geralmente pulando no chão. Seu canto característico (fi-fi-fíu-fíu-fíu-fíu-fiúu-fiúúu) é fácil de ser ouvido —principalmente nas madrugadas de primavera, quando está em período reprodutivo.

Periquito-rico (Brotogeris tirica)

Periquito-rico (Brotogeris tirica) - Ilustração Ricardo Sanches

Esse passarinho, que muita gente chama de maritaca, lembra um papagaio, só que menor. Anda em bando, fazendo barulho e algazarra até mesmo em grandes cidades. São vistos em copas de árvores, especialmente aquelas que fornecem frutinhas.

Rolinha (Columbina talpacoti)

Rolinha (Columbina talpacoti) - Ilustração Ricardo Sanches

Parece (e é) uma pombinha, com tons mais roxos. É uma ave simpática e calma, que costuma se alimentar de pequenos grãos que encontra em plantações, campos, jardins e também no chão da cidade. Às vezes se assusta quando chegamos pertinho dela.

Beija-flor tesoura (Eupetomena macroura)

Beija-flor-tesoura (Eupetomena macroura) - Ilustração Ricardo Sanches

Os beija-flores são aves muito rápidas e elegantes, que vivem à procura do doce néctar das flores. É difícil observar um beija-flor direito, já que o bichinho é ligeiro e tem fama de encrenqueiro. Mas não tem medo dos humanos, e se aproxima das casas para se alimentar em bebedouros com água e açúcar.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.