São Paulo, sábado, 14 de outubro de 2006

Próximo Texto | Índice

Painel

Renata Lo Prete - painel@uol.com.br

Desconfiômetro

Ao declarar em entrevista que foi um erro não ter comparecido ao debate da Globo às vésperas do primeiro turno, Lula ecoava os resultados de pesquisa encomendada por sua campanha. O levantamento, feito logo depois do 1 de outubro para investigar as razões da mudança de voto de parte do eleitorado na reta final, apontou a ausência no debate como principal fator de recuo no apoio ao presidente.
Ainda segundo a pesquisa, a prisão dos dois petistas que tentavam concluir a compra do dossiê contra José Serra, uma semana antes do debate, teria exercido menos influência. Mas a divulgação da imagem do dinheiro, dois dias antes da votação, foi o segundo motivo mais citado por quem desistiu de votar em Lula.

Via satélite. A orientação da campanha petista é evitar eventos com Lula em Estados onde nenhum dos candidatos que disputam o segundo turno tenha declarado voto nele. Para esses locais, o presidente deverá conceder entrevista a uma grande rádio regional.

Pão de queijo 1. Já em Minas Gerais, segundo colégio eleitoral do país, Lula ainda desembarcará pelo menos duas vezes no segundo turno. O presidente fará campanha em cidades do Triângulo Mineiro e participará de comício em Belo Horizonte.

Pão de queijo 2. Para tentar minimizar a dobradinha de Geraldo Alckmin com Aécio Neves, petistas dizem que Lula, além de "parceiro" do governador, formou "o governo mais mineiro dos últimos anos", pois o vice-presidente, José Alencar, e seis ministros são do Estado.

Jogada ensaiada. Do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) sobre o boletim apontando denúncias contra familiares de Alckmin, retirado do site de campanha de Lula a pedido do presidente. "É a tática do "bate e esconde a mão'".

Download. Pouco antes de Alckmin desembarcar ontem em João Pessoa, aliados se deram conta de que não tinham seu jingle de campanha para tocar no carro de som da carreata. Precisaram pedir um computador com banda larga emprestado da Infraero para que a música do tucano pudesse ser baixada da internet.

Azedou 1. O PMDB do Paraná marcou para segunda a adesão formal à candidatura de Lula. A disposição do PT em dar apoio a Roberto Requião, porém, ficou abalada com a aparição, ontem, de dezenas faixas no centro de Curitiba que pediam voto para o governador e para Alckmin.

Azedou 2. Prontamente, Requião mandou um emissário dizer à coordenação da campanha de Lula no Paraná que não endossa o material e que sequer sabia da operação conjunta com o tucano.

Slogan. Aliados de Jackson Lago propagam que, com a derrota do carlismo na Bahia, a vitória do pedetista sobre Roseana Sarney (PFL) na disputa pelo governo do Maranhão acabaria com o "último foco de coronelismo" no país.

Impedido. O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PTB-SP), nomeou Carlos Sampaio (PSDB-SP) defensor dativo dos sanguessugas que não indicaram testemunhas de defesa nos processos. O tucano, porém, é sub-relator da CPI que pediu a abertura dos processos.

Reverso da moeda. A mesma espada que cortou a maior parte dos deputados sanguessugas e uma parcela dos mensaleiros parece ter atingido o Conselho de Ética da Câmara: 12 membros entre os 30 que integram a comissão, incluindo titulares e suplentes, não se reelegeram.

Superstição. Na manhã de ontem, sexta-feira 13, policiais federais que investigam o caso da compra do dossiê contra os tucanos encontraram um gato preto morto na frente do prédio da corporação em Cuiabá (MT).

Tiroteio

"Depois de escalar os mensaleiros e aloprados, o PT coloca agora em sua linha de frente de campanha os mentirosos."
Do presidente do PSDB-SP, deputado estadual SIDNEY BERALDO, sobre o fato de o presidente Lula e seus correligionários insistirem em dizer que Alckmin irá privatizar estatais e acabar com o Bolsa Família.

Contraponto

Leite derramado

Aliados de Eduardo Campos (PSB), candidato ao governo de Pernambuco, discutiam o desempenho de Jarbas Vasconcelos (PMDB) nas urnas. Diziam que, embora eleito senador, o ex-governador perdeu parcela considerável de votos para os adversários -somados, Luciano Siqueira (PC do B) e Jorge Gomes (PSB) ultrapassaram 40%.
-Dava para ganhar- comentou o jornalista Edson Barbosa, que coordena a comunicação da campanha do PSB.
Ariano Suassuna, suplente do candidato do PSB ao Senado, lamentou ter superestimado a força de Jarbas:
-Se eu tivesse saído candidato, talvez vencesse. Fosse eu vidente e não escritor...


Próximo Texto: Servidor terá reajuste menor, afirma coordenador de Lula
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.