São Paulo, quarta-feira, 15 de setembro de 2004

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Maluf nega pacto com PT e faz elogios à personalidade de Marta

LILIAN CHRISTOFOLETTI
DA REPORTAGEM LOCAL

O candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf, elogiou ontem a prefeita e oponente, Marta Suplicy (PT), cuja "forte personalidade é importante ao homem público". O ex-prefeito destacou ainda alguns projetos realizados pela petista.
Maluf, que chamou a adversária de "devassa" e de "permissiva" na campanha municipal de 2000, nega hoje que os elogios façam parte de um pacto selado entre ele e o PT para poupar Marta e dirigir os ataques ao tucano José Serra -pelo acordo, o ex-prefeito seria protegido dentro dos limites legais na CPI do Banestado, que apura o envio ilegal de dólares para o exterior.
"Ela [Marta] tem uma qualidade importante no homem público, tem personalidade, bate o pé e tem cabeça-dura. Ela tem personalidade forte, graças a Deus, para que não cheguem perto dela e a induzam a erros", disse o ex-prefeito ontem durante a abertura do ciclo de entrevistas promovido pelo "Grupo Estado" com os principais candidatos a prefeito de São Paulo.
Maluf, que no início da campanha batizou de "pinguelinhas" as obras viárias da prefeita, foi só elogios ontem para o projeto do Bilhete Único, da distribuição gratuita de uniformes escolares e do transporte escolar (Vai-e-Volta) implantados por Marta.
As críticas feitas durante a entrevista foram centradas em Serra, que, segundo Maluf, "não tem propostas para apresentar" nem "experiência administrativa".
O candidato nega que suas declarações sinalizem um eventual apoio no segundo turno para o PT, já que as pesquisas de intenção de voto indicam que o candidato está em terceiro lugar, distante de Marta e de Serra, que polarizam a disputa.
"Votarei em Maluf no segundo turno. Sou reconhecidamente o melhor prefeito que São Paulo já teve", afirmou.
Sobre as contas do exterior, Maluf negou novamente ter feito qualquer remessa ilegal para fora do país. "Todo o meu dinheiro está aqui no Brasil investido em fundos. Tenho mais de 20 declarações de bens que são públicas, basta só comparar e ver que não tenho dinheiro no exterior."
O candidato é investigado pelo Ministério Público Federal, pelo Ministério Público Estadual e pela Polícia Federal pelo envio não declarado de milhões de dólares para paraísos fiscais. A Suíça enviou documentos bancários ao Brasil. "Não sei, nunca tive acesso aos papéis", disse Maluf.


Texto Anterior: Maia seria eleito já no 1 turno
Próximo Texto: Elio Gaspari: Com vocês, o Big Companheiro
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.