São Paulo, quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Lula sobe para 57% e abre vantagem de 19 pontos

Petista ganha pontos em todas as faixas de eleitores, especialmente no Sudeste

Evolução de Lula equivale a ter conquistado mais do que todos os votos obtidos por Heloísa Helena e Cristovam Buarque no primeiro turno


FERNANDO CANZIAN
DA REPORTAGEM LOCAL

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ampliou de 11 para 19 pontos sua vantagem sobre o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida presidencial.
Segundo pesquisa Datafolha realizada ontem e anteontem em todo o país, Lula tem agora 57% das intenções de voto, contra 38% de Alckmin, considerando o total de votos declarados em cada candidato.
Em uma semana, o petista subiu seis pontos, enquanto Alckmin oscilou negativamente dois -levando em conta a margem de erro do levantamento, de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Lula ganhou vários pontos em praticamente todos os segmentos do eleitorado, seja na estratificação por renda, sexo, idade ou escolaridade. Mas o que mais contribuiu para abrir a atual dianteira foi seu desempenho no Sudeste, que concentra 44% dos eleitores do Brasil e, em menor escala, no Sul, com 15% dos eleitores.
Considerando os votos válidos, Lula subiu de 56% para 60%, enquanto Alckmin caiu de 44% para 40%. Vencerá a eleição no próximo dia 29 quem tiver mais de 50% dos votos válidos.
A distância entre os dois adversários nos votos válidos, que era de 12 pontos há uma semana, foi ampliada agora para 20 pontos. Na primeira pesquisa realizada depois do primeiro turno, no início deste mês, essa diferença era de só oito pontos.
Na prática, Lula tem hoje o mesmo patamar que o levou à vitória na eleição de 2002 contra o também tucano José Serra. Na época, Lula foi eleito com 61,3% dos votos válidos, enquanto Serra teve 38,7%.
Os 40% de Alckmin captados pela pesquisa estão bem próximo do total de votos válidos obtidos por ele no primeiro turno (41,64%). Já os 60% de Lula estão bem acima dos 48,61% que ele teve em 1 de outubro.
Obviamente, não são os mesmos eleitores que migraram diretamente para o petista, mas a evolução de Lula equivale a ter conquistado mais do que todo o eleitorado que votou em Heloísa Helena (PSOL) e Cristovam Buarque (PDT) no primeiro turno. Juntos, os dois tiveram 9,49% dos votos válidos.
"A exemplo do primeiro turno, Lula tem a eleição nas mãos novamente. Só fatos muito contundentes o farão perder", afirma Mauro Paulino, diretor do Datafolha.
Dias antes do primeiro turno, Lula viu evaporar sua folga em relação a Alckmin por conta da crise provocada pela compra de um dossiê por petistas contra adversários tucanos.
Em termos quantitativos, o maior crescimento de Lula ocorreu no Sudeste. O petista subiu sete pontos na região com mais eleitores no país, enquanto Alckmin caiu quatro.
Há uma semana, os dois estavam empatados no Sudeste com 45% das intenções de voto cada. Agora, Lula tem 52% e o tucano, 41%. Lula também subiu cinco pontos no Sul (para 43%), enquanto Alckmin perdeu quatro (passando a 50%).
Entre os eleitores com até o ensino fundamental (cerca de 50% do eleitorado do país), Lula ganhou mais seis pontos, passando a 63%. Alckmin oscilou negativamente dois, para 32%. Houve ainda ganhos entre os eleitores com ensino médio e superior.
Lula também ganhou pontos acima da margem de erro do levantamento entre os eleitores de todas as faixas de renda. Seu melhor desempenho foi entre os que recebem entre 2 e 5 salários mínimos, onde subiu oito pontos, enquanto Alckmin perdeu quatro.


Texto Anterior: Painel
Próximo Texto: Metodologia: Datafolha ouve 7.133 eleitores em 348 cidades
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.