São Paulo, segunda-feira, 25 de julho de 2005

Texto Anterior | Índice

QUEM É

Jornalista investiga ditadura na Argentina

Livro quebra silêncio sobre Igreja Católica

DA REDAÇÃO

O jornalista e analista político Horacio Verbitsky acaba de romper um incômodo silêncio na história recente da Argentina. Em "El Silencio - Las Relaciones Secretas de la Iglesia con la Esma" (ed. Sudamericana, 2005), o jornalista investigou o envolvimento da Igreja Católica com o desaparecimento de pessoas durante a ditadura militar que vigorou no país entre 1976 e 1983.
No livro, que causou polêmica em seu lançamento, Verbitsky conta como o governo argentino teria escondido prisioneiros políticos em uma das ilhas do conhecido Delta do Tigre, diante da possibilidade de uma visita da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e da pressão da administração do então presidente dos EUA, Jimmy Carter.
A ilha para onde os presos foram transferidos, tinha, justamente, o nome de "El Silencio", e era de propriedade da igreja.
Verbitsky é colunista do jornal "Pagina 12" e publicou os livros "Malvinas - La Última Batalla de la Tercera Guerra Mundial", "Civiles y Militares - Memória Secreta de la Transición", entre outros títulos. No Brasil, tem editado o importante "O Vôo", outra investigação acerca da ditadura. Nele, Verbitsky entrevistou o capitão Francisco Scilingo, da Marinha argentina, e revelou como o extermínio de prisioneiros era realizado a partir de vôos que os arremessavam para o mar.
O jornalista também é professor da Fundación del Nuevo Periodismo Iberoamericano, dirigida pelo colombiano Gabriel García Márquez. (SC)


Texto Anterior: Entrevista da 2 - Horacio Verbitsky: Escândalo ameaça liderança de Lula na AL, diz analista
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.