São Paulo, terça-feira, 27 de abril de 2004

Texto Anterior | Índice

ARQUEOLOGIA

Grupo encontra mais de 50 múmias egípcias em bom estado de preservação
Arqueólogos franceses e egípcios anunciaram ontem ter encontrado mais de 50 múmias, enterradas em poços profundos ao sul do Cairo, datadas do primeiro milênio a.C.
Algumas das múmias, hermeticamente seladas dentro de sarcófagos de madeira ou pedra, estão em excelente estado de preservação, levando em conta sua idade -segundo Zahi Hawass, líder do Conselho Supremo de Antigüidades do Egito.
Hawass disse que os egípcios usaram a rede de poços e corredores por vários séculos, da 26 dinastia (664-525 a.C.) ao período ptolomaico, que acabou com a morte de Cleópatra, em 30 a.C.
"É um conjunto de corredores com múmias por toda parte, à direita e à esquerda, acima e abaixo. Quando as pessoas chegavam, não havia mais espaço, então eles punham os caixões na parede, ou abriam outro poço, ou colocavam uma múmia sobre a outra", disse.
Os poços estão em Saqqara, 25 km ao sul do Cairo.
Guy Lecuyot, egiptólogo do Centro Nacional de Pesquisa Científica da França, disse que uma das múmias ptolomaicas era excepcional, por seu estado de preservação e seu estilo. Hawass concordou. "Eu nunca vi uma múmia do período ptolomaico que seja tão singular, tão bem-preservada", disse.
(DA REUTERS)


Texto Anterior: Panorâmica - Personalidade: Morre aos 84 o biólogo John Maynard Smith
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.