São Paulo, quarta-feira, 02 de março de 2005

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

VIOLÊNCIA

Vítima foi atingida por tiro na nuca; crime foi registrado por câmeras de vigilância e testemunhado por outros funcionários

Juiz que matou vigia em mercado é preso

KAMILA FERNANDES
DA AGÊNCIA FOLHA, EM FORTALEZA

O juiz Pedro Percy Barbosa Araújo, 57, foi preso na noite de anteontem sob acusasão de matar, na noite de domingo, o vigilante de um supermercado em Sobral (CE), José Renato Coelho Rodrigues, 32, com um tiro na nuca, pelas costas.
O circuito interno de câmeras do local filmou o assassinato, que foi presenciado por outros funcionários. Não houve nenhum motivo aparente para o crime.
Além da prisão, os desembargadores do Tribunal de Justiça do Ceará determinaram o afastamento do juiz de suas funções, na 4 Vara da Comarca de Sobral (233 km de Fortaleza).
Ele mesmo, ontem pela manhã, havia entregue o pedido de afastamento ao presidente interino do Tribunal de Justiça, Fernando Ximenes. Até então, Araújo era considerado foragido.
Após receber o mandado de prisão, o acusado se entregou, por volta das 21h de ontem, ao Comando Geral do Corpo de Bombeiros, onde deverá ficar preso.
O advogado de Araújo, Paulo Quezado, afirmou que vai entrar com um pedido de habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça), para tentar fazer com que seu cliente responda ao processo em liberdade.
O crime aconteceu às 22h20 de domingo, quando o supermercado Super Lagoa já estava fechado. O juiz quis entrar para fazer compras, mas recebeu a informação do vigilante de que o expediente já estava encerrado e que os caixas estavam fechados. Ainda assim, ao perceber que se tratava de "uma autoridade", o gerente da loja permitiu a entrada.
No supermercado, Araújo entrou com um revólver, empurrando e ameaçando o vigilante, que pedia que ele não atirasse, como mostram as imagens gravadas pelo circuito interno de câmeras.
Não houve reação. Pelas costas, o juiz acertou um tiro, à queima-roupa, na nuca do vigilante, que morreu na hora. Em seguida, Araújo deixou a loja, sem fazer as compras, e fugiu.
A família de Rodrigues não aceitou a ajuda oferecida pela Justiça para custear o enterro, realizado na manhã de ontem.
O vigilante tinha um filho de 6 anos e trabalhava no supermercado havia apenas uma semana, depois de passar dois anos desempregado. Era seu terceiro plantão noturno, das 19h às 7h.
Além do circuito interno de câmeras, outros funcionários da loja testemunharam o crime e, de acordo com a Polícia Civil, não há mais o que investigar.


Texto Anterior: Há 50 anos
Próximo Texto: Estranhos no paraíso: Corpo de imigrante ilegal brasileiro é identificado pela polícia dos EUA
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.