São Paulo, segunda-feira, 04 de janeiro de 2010

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Chuvas afetaram 83% da população do município

DA REPORTAGEM LOCAL
DA AGÊNCIA FOLHA
DO "AGORA"

São Luiz do Paraitinga foi a cidade mais afetada pela chuva no Vale do Paraíba paulista. São aproximadamente 9.000 desabrigados ou desalojados, de um total de 10.900 habitantes, de acordo com dados levantados pela Defesa Civil Estadual.
Um morador soterrado em um deslizamento de terra ontem poderá ser a primeira vítima fatal das chuvas este ano na cidade. O número de vítimas só não foi maior nos temporais do Réveillon porque praticantes de rafting (descida de rios com bote) salvaram pessoas que ficaram ilhadas em suas casas. Foram cerca de 400 salvamentos feitos por esses esportistas entre a noite de sexta-feira e a madrugada de sábado.
"Estou vivo graças àquele pessoal. Eles fizeram o serviço do Exército e dos bombeiros", disse o metalúrgico aposentado Alexandre Nono, 38.
Também foram resgatados pelos botes a advogada Maria Aparecida Moura Bueno, 75, e seu marido, Geraldo da Silva, 94. De acordo com ela, a água já entrava na parte superior do sobrado, onde seu marido fica, já que não tem movimentos no corpo. "Eles merecem uma medalha de ouro" afirmou.
A equipe foi parabenizada pelo governador José Serra (PSDB), que foi até a cidade. O promotor de Justiça Antonio Carlos Ozório Nunes disse que, "se não fosse esse pessoal [os praticantes de rafting], teriam morrido umas 300 pessoas."
Nunes reclamou diretamente ao governador da falta de apoio do governo do Estado à cidade nos dois primeiros dias da tragédia.

Vale do Paraíba
Cerca de 14 mil pessoas estavam desabrigadas ou desalojadas ontem no Vale do Paraíba, segundo informou a Defesa Civil Estadual no início da noite.
Apesar de não chover forte na região desde sábado, alguns municípios ainda se recuperam das inundações e convivem com o risco de deslizamentos.
Em Cunha (241 km de São Paulo), onde seis pessoas morreram soterradas na sexta-feira, a maior preocupação é com deslizamentos no interior do município. A região, que tem 3.000 casas, está sem telefone, sem luz e isolada em boa parte devido à queda de pontes e de barreiras nas estradas.
Outras cidades que foram bastante atingidas pelas enchentes foram Aparecida (180 km de SP), que tem 675 desalojados (que não têm para onde ir e vão para abrigos), e Guaratinguetá (187 km de SP), com 800 desabrigados (pessoas que foram para casa de parentes ou amigos). Ao todo, 12 municípios do Vale do Paraíba e litoral norte foram atingidos. Em Ubatuba (226 km de SP), 500 pessoas ficaram desalojadas.




Texto Anterior: Destruição emerge da cidade quase toda alagada
Próximo Texto: Restauração é possível, afirma pesquisadora
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.