São Paulo, quinta-feira, 14 de junho de 2007

Próximo Texto | Índice

Metroviários prometem parar hoje por reajuste

Categoria rejeitou a proposta de 3,37% apresentada ontem à tarde pelo Metrô

Para reduzir o impacto aos usuários, Secretaria de Transportes estenderá trajeto das linhas de ônibus que ligam bairros às estações

PAULO DE ARAUJO
DA REPORTAGEM LOCAL

Os metroviários decidiram entrar em greve hoje. Reunidos em assembléia ontem à noite, os funcionários aprovaram proposta de parar à 0h. O Metrô transporta cerca de 3 milhões de pessoas por dia.
Cerca de 200 pessoas participaram da assembléia. A categoria reúne 7.600 metroviários.
Eles pedem a correção dos salários pelo ICV-Dieese (3,09%) e aumento real de 9,98%. A pauta de reivindicações contém 96 itens, entre eles a reintegração de dois diretores do sindicato demitidos após protesto em abril. A data-base da categoria é 1 de maio.
Os metroviários rejeitaram a última proposta da empresa, de 3,37%, encaminhada ontem no final da tarde. O reajuste incidiria sobre salários e benefícios.
"Aguardamos uma proposta. Eles apresentaram uma hoje [ontem], mas era pior que a da semana passada", afirmou Benedito Barbosa, secretário de formação sindical do sindicato.
Por meio de nota, o Metrô afirmou que "o momento ainda é de negociação".
A empresa acionou um plano de emergência, o Paese, esquema de cooperação entre Metrô, SPtrans (empresa que gerencia o transporte coletivo em SP), EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Quando a operação de uma das empresas é prejudicada, as demais reforçam seus esquemas.
Até a conclusão desta edição, o Metrô não tinha decidido se entraria na Justiça com pedido de manutenção de um esquema mínimo de funcionamento.
A Secretaria de Transportes informou que, se a greve ocorrer, parte das linhas de ônibus terá o trajeto alterado -as que normalmente chegam até as estações de metrô irão até o centro. A CET informou ter preparado um esquema especial de trânsito, mas que só iria divulgá-lo após conhecer a dimensão da paralisação. Também não informou se irá suspender o rodízio de veículos por conta da greve.
À noite, os metroviários farão nova assembléia para decidir se mantêm a greve.

Colaborou o "Agora"


NA INTERNET - Acompanhe os reflexos da paralisação www.folha.com.br


Próximo Texto: Pasquale Cipro Neto: Ladrão que rouba ladrão...
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.