São Paulo, quarta-feira, 24 de março de 2010

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

A cidade é sua

cidadesua@uol.com.br

Obra em encanamento d'água deixou rua desnivelada, diz leitor

DA REPORTAGEM LOCAL

O operador de máquina Raimundo Costa se queixa que, após a Sabesp ter mudado o encanamento d'água da avenida Elísio Teixeira Leite, na zona norte de São Paulo, o local ficou desnivelado.
De acordo com ele, a empresa abriu uma vala de um lado ao outro da avenida, que depois foi coberta. O asfalto, no entanto, teria cedido em poucos dias. Costa reclama que uma caixa de esgoto também está abaixo do nível do asfalto e que um buraco feito em frente a sua casa ainda estaria aberto.
""Aqui o tráfego de ônibus e caminhões pesados é intenso. Ao passarem por todos esses desníveis, os veículos causam trepidações em minha casa. Os azulejos da cozinha já estão ficando soltos."
Costa afirma já ter informado a Sabesp e a Prefeitura de São Paulo sobre o problema, mas que nenhuma providência havia sido tomada.

Resposta: A Sabesp informa que técnicos vistoriaram o local e constataram ser necessário nivelar o poço de visita do esgoto e repor o pavimento da avenida. Esses serviços, diz, seriam feitos até a última semana de março.



Leitor: Nélson Ubaldo Ribeiro
Empresa: Corpo de Bombeiros
Queixa: O leitor se queixa que o Corpo de Bombeiros da Consolação (centro de SP) colocou uma campainha na área externa para acordar a equipe. Ele diz que o barulho, por ser alto, tem acordado também a vizinhança.

Resposta: O Psiu (Programa de Silêncio Urbano) diz ter contatado o batalhão para solicitar as devidas providências.



Leitora: Karin de Oliveira
Empresa: CET
Queixa: A leitora conta que apesar da rua onde mora, na zona leste de SP, ser estreita, os carros estacionam dos dois lados e até em frente a garagens. Ela diz que a CET já foi avisada várias vezes, mas nada havia feito.

Resposta: A CET esclarece que a rua foi incluída no Programa de Fiscalização Periódica e que agora será monitorada diariamente.



Leitora: Carla de Oliveira
Empresa: Livraria Nobel
Queixa: A leitora relata que a livraria anunciou um produto por R$ 24,90, mas no caixa descobriu que o valor era, na verdade, de R$ 49,90. Ela diz que a resposta da loja foi que "houve um equívoco ao arrumar a vitrine".

Resposta: A Nobel diz que o livro deveria ter sido vendido pelo preço anunciado e que, por isso, a cliente poderá levar o produto por R$ 24,90.



Leitora: Alessandra da Silva
Empresa: Nokia
Queixa: A leitora se queixa de ter mandado seu celular para a assistência técnica há mais de três meses, mas ainda não teve o problema resolvido. Segundo ela, até o aparelho que recebeu em troca estava com defeito.

Resposta: A Nokia afirma ter contatado a cliente para combinar uma nova avaliação do aparelho, que será feita pela assistência técnica.


LEIA MAIS CASOS NA FOLHA ONLINE
www.folha.com.br/acidadeesua



Texto Anterior: Gilberto Dimenstein: Lambendo as feridas
Próximo Texto: Há 50 Anos
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.