São Paulo, quarta-feira, 03 de outubro de 2007

Próximo Texto | Índice

Mercado Aberto

GUILHERME BARROS - guilherme.barros@uol.com.br

Varejo vive revolução, diz especialista

O varejo vive hoje a chamada "revolução do consumidor", em que as grandes redes dependem exclusivamente de opiniões, desejos e aspirações do cliente. A grande dificuldade é a nova configuração mundial. O mundo encolheu com tanta tecnologia e as novas mídias. Com a internet, os consumidores recebem novas informações em velocidade altíssima.
A avaliação é do inglês Ian McGarrigle, especialista em varejo e diretor-geral do WRC (World Retail Congress, congresso mundial de varejo), que acontece em abril do ano que vem, em Barcelona.
"Não existe uma fórmula fechada de sucesso no varejo, mas é importante prestar atenção no cliente, entender o que ele faz na loja, o que compra, o seu olhar para as tendências. É importante ter uma boa marca e foco total no consumidor", afirma o especialista.
McGarrigle está no Brasil para uma apresentação, hoje, sobre as principais tendências que impactam o mercado varejista no mundo. Organizada pela consultoria Gouvêa de Souza & MD, a apresentação tem como objetivo convidar os altos executivos brasileiros a participarem do evento de Barcelona.
Entre as principais tendências a serem debatidas na próxima edição do congresso, segundo McGarrigle, está o uso dos "multicanais". Segundo ele, hoje, não é suficiente ter apenas uma rede de lojas físicas. Para sobreviver e ter sucesso em tempos da revolução do consumidor, é preciso saber usar as várias mídias do mundo moderno, desde telefones celulares até sites de relacionamento como MySpace ou Facebook.
"As redes varejistas ainda não sabem como fazer isso, mas podem aprender rapidamente. Esses canais possibilitam que as pessoas troquem informações sobre suas experiências, como conseguir um preço melhor. É um jeito de o consumidor assumir o comando", afirma.
A revolução do consumidor acontece em todo o mundo, segundo McGarrigle, e o varejo se apresenta com as mesmas características tanto nos países emergentes quanto nos desenvolvidos. "A crise do mercado imobiliário americano, por exemplo, deve afetar o Natal nos quatro cantos do mundo."
Apesar de apresentarem características semelhantes, alguns mercados se destacam. Há mais potencial de exploração em países como Índia, China, Brasil e Rússia, que estão na agenda das principais redes varejistas do mundo e já começam a invadir outros mercados com suas próprias empresas. "O Brasil tem O Boticário, por exemplo."
Para o especialista, é importante levar em consideração as características de cada lugar e usar "mentes" locais para ter sucesso.

Frase

"Não existe uma fórmula fechada de sucesso no varejo, mas é importante prestar atenção no cliente, entender o que ele faz na loja, o que compra, o seu olhar para as tendências. É importante ter uma boa marca e foco total no consumidor"


IAN MCGARRIGLE
diretor-geral do WRC


André Esteves sobe mais um degrau no UBS

André Esteves subiu mais um degrau na hierarquia do banco suíço UBS. Ele já era responsável pela gestão de US$ 800 bilhões, quase o PIB do Brasil, como chefe global da área de renda fixa do banco. Agora, passou a dirigir também o setor de moedas e commodities.
No total, Esteves vai administrar a montanha de US$ 1,7 trilhão, o equivalente a quase dois PIBs do Brasil. A promoção de Esteves foi anunciada junto às mudanças feitas pelo UBS para reverter as perdas com a crise no mercado financeiro americano.

ESTRATÉGIA
José Carlos Grubisich, presidente da Braskem, embarcou ontem para Budapeste, capital da Hungria, para participar, na sexta, da primeira reunião do Grupo de Executivos da Estratégia Global da Indústria Química e Petroquímica. O objetivo do grupo -presidido pelo presidente mundial da Dow Chemical, Andrew Liveris- é discutir temas como energia, mudança climática e responsabilidade da indústria. Grubisich é o único representante do hemisfério Sul a participar do grupo. A reunião ocorrerá com a Convenção Européia da Indústria Química, que também será em Budapeste.

BRINQUEDO
A Lojas Americanas distribuirá, no Dia da Criança, o almanaque "Amigos do Planeta", publicação em papel reciclado, para conscientizar as crianças sobre preservação do ambiente.

APOIO
Josué Gomes da Silva, presidente do Iedi e da Coteminas, afirma que concorda com o eixo central de política industrial defendido pelo filósofo Roberto Mangabeira Unger durante encontro com empresários na segunda, em São Paulo. No encontro, Mangabeira deixou alguns empresários insatisfeitos ao não considerar a política industrial um tema prioritário para o país.

ÁGUA COM AÇÚCAR
A Fiesp assinou ontem um termo de cooperação técnica entre a Agência Nacional de Águas, a Unica e o Centro de Tecnologia Canavieira, para a elaboração de manual das melhores práticas em uso e gestão de recursos hídricos com ênfase na indústria canavieira, que hoje representa cerca de 40% do total da água utilizada pelo setor industrial em São Paulo. A iniciativa deve se estender aos segmentos industriais.

CATARINENSE
A vinícola catarinense Villa Francioni lançará, ainda no fim deste mês, os rótulos Francioni Rosé 2007 e o Villa Francioni Sauvignon Blanc 2007. A casa espera a chegada das garrafas para o rosé, que são importadas da França.

NO ORIENTE
Uma missão comercial brasileira visita, nesta semana, Cingapura, Vietnã e Tailândia. Na comitiva estão representantes do Banco do Brasil, da Apex, do governo do Distrito Federal, da Embraer, da Perdigão e da WEG Brasil. A missão, que é chefiada por Ivan Ramalho, secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, é "exploratória" e tem o objetivo de identificar novas oportunidades.

AQUÁRIO
A Sadia investiu cerca de R$ 2 milhões no tratamento de efluentes da unidade de Francisco Beltrão. A tecnologia usada na nova estação de tratamento da fábrica deve garantir a remoção de carga orgânica. O sistema já possibilitou a criação de peixes nas duas últimas lagoas da estação.

PIPOCA
A Sodexho Cheques e Cartões de Serviço fechará convênio com o governo do Estado de São Paulo para fornecer 300 mil Cultura Pass, um cheque-cultura para ser trocado por ingressos de filmes nacionais. O convênio faz parte do projeto "Vá ao Cinema", que o governo estadual de São Paulo lança hoje, na sede da Secretaria da Cultura.


com ISABELLE MOREIRA LIMA e JOANA CUNHA


Próximo Texto: Bancos oficiais não diminuem o "spread"
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.