São Paulo, quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

INSS tem déficit de R$ 3,04 bi em outubro

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Com recordes na receita e na despesa, o déficit da Previdência Social somou R$ 3,043 bilhões no mês passado. O resultado não alterou a previsão de déficit recorde de R$ 42 bilhões neste ano.
Houve queda de 64,6% em relação ao déficit de setembro, de R$ 8,603 bilhões, mas a comparação é imprópria -no mês anterior, por decisão atípica de ano eleitoral, o governo antecipou o pagamento da primeira parcela do 13 salário aos aposentados e pensionistas.
Para períodos de pagamentos regulares de benefícios, as despesas do mês passado, de R$ 13,358 bilhões, foram as mais altas já registradas pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Os recordes, nesse caso, são rotina, em razão do envelhecimento da população.
A receita com contribuições previdenciárias, de R$ 10,514 bilhões, também é a maior da história para meses regulares -graças, em boa parte, aos efeitos do programa de parcelamento de dívidas tributárias e previdenciárias promovido pelo governo. A arrecadação final, porém, é menor, devido a transferências de recursos que o INSS arrecada em nome de terceiros.
O bom comportamento da receita tem evitado o crescimento maior do déficit neste ano. Desde o final de 2005, a previsão de arrecadação para o ano já subiu de R$ 118 bilhões para R$ 123 bilhões.
De janeiro a outubro, a receita previdenciária teve crescimento de 10,4% acima do INPC em relação ao mesmo período do ano passado. O déficit acumulado no período chega a R$ 37,376 bilhões, com crescimento de 29,9% sobre 2005 -mas, de novo, a comparação é imprópria devido aos gastos extraordinários de setembro.


Texto Anterior: Lula barra mudança previdenciária com custo político alto
Próximo Texto: Vinicius Torres Freire: Caça ao tesouro
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.