São Paulo, segunda-feira, 09 de julho de 2007

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Massa larga dos boxes e se complica

Brasileiro cai para quarto no Mundial de F-1 e agora não depende mais apenas de seus resultados para chegar ao título

Ferrari isenta piloto de culpa pelo motor de seu carro ter apagado na largada para o GP da Inglaterra, ontem, vencido por Kimi Raikkonen

DA REPORTAGEM LOCAL

Faltavam poucos segundos para as luzes vermelhas se apagarem em Silverstone quando Felipe Massa, estacionado no quarto lugar do grid, começou a acenar dentro de sua Ferrari.
"O motor apagou e não entendi ainda o que aconteceu."
O brasileiro pode não saber o que ocorreu na largada, mas ao receber a bandeirada em quinto no GP da Inglaterra, sabia que sua situação havia voltado a se complicar no Mundial.
Não só pela vitória de Kimi Raikkonen, a segunda seguida e a que fez com que seu companheiro de equipe voltasse a ser o melhor ferrarista na classificação, posto que Massa ocupou pelas últimas cinco corridas.
Mas principalmente porque, a partir de agora, não depende mais só de seus resultados para conquistar o título. Mesmo que vença as oito provas que faltam para o encerramento da temporada, Massa precisa torcer contra o líder Lewis Hamilton, terceiro ontem -Fernando Alonso foi o segundo.
Com 70 pontos, bastaria ao inglês completar todas as provas em segundo. Neste caso, Hamilton totalizaria 134 pontos contra 131 do brasileiro.
"Claro que estou decepcionado por ter perdido pontos importantes, mas a vida é assim e tenho que aceitar", falou ele.
Jean Todt, chefe da Ferrari, isentou Massa de qualquer culpa no incidente. "O carro dele teve um problema técnico."
Ao piloto, restou se lamentar. "Às vezes tudo dá certo e outras vezes coisas inesperadas acabam com seus planos e você tem que saber tirar o máximo dessas situações", disse.
E foi justamente o que o ele tentou fazer ontem depois que seu carro apagou na largada. Sem opção, Massa foi empurrado para os boxes, e de lá largou.
Dos pits, pôde ver os três primeiros colocados manterem seus postos após a largada: Hamilton, Raikkonen e Alonso.
Contra adversários mais pesados, os do fundo do grid, Massa começou as ultrapassagens. Fechou a primeira volta em 19. Na 16, já aparecia em sétimo, na zona de pontuação.
No pelotão da frente as ultrapassagens só ocorreram nos boxes. Com seu McLaren mais leve que os rivais, Hamilton foi o primeiro a parar. Na ânsia de sair depressa, acelerou antes de terminar o reabastecimento.
Teve de brecar e perdeu tempo. Raikkonen e Alonso pararam pouco depois, mas o espanhol colocou menos gasolina em seu carro e voltou à frente.
Em terceiro, Hamilton começou a perder contato com a dupla Alonso e Raikkonen.
Mas a corrida só foi definida após a segunda janela de paradas. Mais leve, Alonso fez seu pit stop cinco voltas antes de Raikkonen, que aproveitou para abrir vantagem para retornar à frente do bicampeão.
Massa, que, após sua segunda parada, voltou logo atrás de Robert Kubica, o quarto, tentou passar o polonês, mas teve de se contentar com o quinto lugar. "Tinha certeza de que o passaria. Mas, considerando tudo, estou feliz. É claro que poderia ter feito a prova muito diferente sem o problema na largada, mas automobilismo é assim."


Texto Anterior: Cida Santos: Chegou a hora: Liga e Pan
Próximo Texto: "Diferente", Hamilton fica apenas em 3
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.