São Paulo, domingo, 18 de junho de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

análise

Copa deverá mudar cenário na Austrália

PAUL KITCHIN
ESPECIAL PARA A FOLHA

Esta é a Copa do Mundo pela qual o futebol da Austrália, conhecido localmente como soccer, estava esperando. O cenário esportivo australiano é dominado por outros códigos futebolísticos, que tradicionalmente marginalizam o futebol a uma posição de esporte de nicho disputado pelos imigrantes europeus que chegaram à Austrália após a Segunda Guerra. Até 1 de fevereiro, a Austrália era membro da federação da Oceania, e vencer as eliminatórias de sua região não garantia automaticamente vaga na Copa. Tradicionalmente, os "socceroos" venciam as eliminatórias locais, mas não conseguiam superar o quinto colocado nas eliminatórias sul-americanas ou asiáticas na repescagem. O fato de o país não conseguir ir à Copa confinava o futebol a uma posição inferior com relação às demais modalidades futebolísticas do país. Mas, após a Copa, a Austrália passará a fazer parte da confederação asiática, o que pode ser um caminho mais simples até a vaga. Na Austrália, o campeonato nacional e a federação que o administra vinham sofrendo sérios problemas desde os anos 90, e a situação se agravou nesta década. A federação teve de reinventar os clubes que a integravam, proibindo bandeiras étnicas. As raízes européias do futebol levaram ao país as rivalidades do continente de origem, especialmente as que separam Sérvia e Croácia. A antiga federação, Soccer Australia, administrava a primeira liga verdadeiramente nacional, formada em 1977. Infelizmente, a organização teve de arcar com a maior parte da responsabilidade pelos fracassos sucessivos em levar a seleção do país à Copa, e disputas políticas internas e a insolvência de muitos dos clubes levaram à sua dissolução. Depois de sua extinção, em 2004, o governo federal lançou um inquérito para averiguar os problemas que o esporte enfrentava e a maneira de constituir um sistema para recriar a administração do esporte e a estrutura da liga nacional. O relatório recomendou a reestruturação da organização gestora e a criação de uma nova liga nacional. A Football Federation Australia foi criada em 1 de janeiro de 2005. Com uma equipe de comando sólida e responsável e uma nova estrutura para a liga, foi possível dar início à ascensão do futebol na Austrália. A A-League tem oito times de Austrália e Nova Zelândia. A primeira temporada, em 2005/2006, foi feita com pleno sucesso. A segunda começa em agosto.


PAUL KITCHIN é australiano, mestre pela Universidade Deakin e comanda o mestrado em administração esportiva da Universidade London Metrolitan, em Londres

Texto Anterior: Silvio Santos vê Ronaldo "meio pesado'
Próximo Texto: Copa firma futebol australiano
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.